Alagoas

Professora da área de comunicação é a nova diretora da Edufal

9 de julho de 2018 | 17:24 | Esforços estão concentrados na SBPC, mas equipe já se mobiliza para a Bienal 2019

Lídia Ramires, nova diretora da Edufal (Foto: Renner Boldrino / Assessoria da Universidade Federal de Alagoas)

A intimidade com os livros é desde a infância a partir de seu ambiente familiar, de onde recebeu toda influência dos saudosos pais, leitores vorazes, e assim cresceu e desenvolveu o hábito de leitura. Lídia Maria Marinho da Pureza Ramires é a nova diretora da Editora da Universidade Federal de Alagoas (Edufal) assumindo o cargo em substituição ao professor Osvaldo Maciel.

Jornalista graduada pela Universidade Federal de Alagoas, onde também obteve os títulos de mestre e doutora na área de Análise do Discurso, pelo Programa de Pós-Graduação em Letras e Linguística (PPGLL) da Faculdade de Letras (Fale), Lídia Ramires ingressou na carreira docente efetiva inicialmente no Campus do Sertão, passando a integrar o Instituto de Ciências Humanas Comunicação e Artes (Ichca), a partir de 2014, onde ministra a disciplina de Radiojornalismo no curso de Jornalismo e é vice-coordenadora da especialização em Assessoria de Imprensa. Lídia também esteve à frente da Assessoria de Comunicação da Ufal (Ascom) no primeiro ano de gestão da reitora Valéria Correia.

PUBLICIDADE

A Edufal já é um espaço com o qual a nova diretora tem familiaridade e não é só pelos livros. Ela teve a oportunidade de integrar a equipe das edições de 2013 e 2015 da Bienal Internacional do Livro, então comandada pela professora Stela Lameiras; e na atual gestão, em 2017, também participou do considerado maior evento literário e cultural de Alagoas. Lídia diz acreditar que toda a experiência adquirida foi referência para a escolha de seu nome para o cargo e aproveita para destacar: “A Edufal tem funcionamento autônomo e uma equipe que garante que tanto as publicações quanto a comercialização de livros sigam sem interrupções. Meu trabalho é dar sequência à política implementada na Edufal pela gestão da reitora Valéria Correia, o que inclui a elaboração do Projeto Bienal 2019”, frisou.

Sobre atividades a empreender, a nova diretora enfatiza que o horizonte, além da próxima edição da Bienal do Livro, está na SBPC Alagoas, que inicia atividades já no dia 19 de julho. “Todos os esforços estão concentrados na participação da Editora no maior evento acadêmico da América Latina. A Edufal estará nos campi Arapiraca, do Sertão e A. C. Simões, a partir do dia 19, já durante a SBPC Educação. Na ExpoT&C, no Campus A. C. Simões, ocuparemos o espaço oficial da Universidade, com lançamentos e promoções na venda de títulos nossos e de outras editoras parceiras”, adiantou.

Plataforma de trabalho

Ao afirmar que a Bienal Internacional do Livro é dos alagoanos e manter o caráter público, democrático, plural, além da gratuidade de acesso é algo inegociável para a gestão da Ufal, Lídia Ramires, informa que alguns encaminhamentos já estão em curso.

“Estamos na negociação de agendamento do Centro de Convenções, palco do evento desde 2007, e possibilidades de execução, não contar com 2/3 do estacionamento, uma vez que o espaço está com reforma programada para, a partir de fevereiro, por 18 meses [embora ainda não tenha sido iniciada], além de uma série de alterações que podem comprometer, principalmente, o fluxo de público. Algo que, desde já, nos preocupa. Estamos avaliando isso junto com a equipe e aguardando definições do Governo do Estado para, em breve, divulgarmos detalhes sobre as decisões tomadas”, destacou.

Transição

Em uma Carta Aberta dirigida à comunidade interna e à sociedade em geral , como prestação de contas pelo período que esteve à frente do setor, Osvaldo Maciel destacou a aprovação de um pregão aprovado no valor de Rs$ 653,8 mil para serviços gráficos voltados à edição de livros. Segundo Lídia, a previsão é de que o citado recurso se destine à publicação de 60 títulos – entre lançamentos e reedições, como de obras pela Coleção Nordestina em seu novo formato, o lançamento da Pluris Alagoensis, coleção de autores alagoanos e títulos que estão esgotados e tem grande procura.

“Com esse pregão de serviços gráficos, devemos lançar um novo edital de livros vinculados à pós-graduação, e fomentaremos publicações de autores que não pertencem à pós, paralelamente. Estes detalhes estão sendo conversados para deliberação junto ao Conselho Editorial da Edufal”, disse a diretora.

Lídia aproveita a oportunidade para dizer da satisfação de estar nessa nova frente de trabalho. “Quero reforçar minha satisfação em poder colaborar com a Editora da Ufal e voltar a integrar a equipe que realiza tanto, mesmo em meio a inúmeras dificuldades no segmento. Além, é claro, de convidar a todas e todos para visitar nossa sede, no CIC [Centro de Interesse s Comunitários], que está de cara nova, e dos pontos de extensão no Espaço Cultural e no Campus do Sertão”, finalizou Lídia Ramires.

Fonte: Tribuna Hoje

 

 

PUBLICIDADE

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar