AlagoasSLIDE

Trabalhadores dos Correios podem deflagrar greve em assembleia nesta terça

Empresa ofereceu reajuste de 2,21%, bem menor que os 8% pedidos pelos funcionários | Por Larissa Bastos | 07|08|2018 ÀS 20:44

Sem acordo com relação ao reajuste salarial pedido pela categoria, os trabalhadores dos Correios em Alagoas devem entrar em greve ainda esta semana. O assunto será tratado em uma reunião na noite desta terça-feira (7). O percentual oferecido pela empresa, de 2,21%, já foi rejeitado em assembleia anterior.

Segundo o presidente do Sindicato dos Trabalhadores dos Correios no Estado (Sintect-AL), Altanes Holanda, os trabalhadores pedem 8% de aumento. “Eles ofereceram 2,21% de reajuste, o que representa menos que a inflação, que foi 3,6%. Fora isso, ainda estão retirando diversos direitos do acordo coletivo”, aponta.

O presidente acrescenta que, além do acréscimo salarial, a categoria tem outras demandas. “Queremos melhores condições de trabalho, mas não fizeram nenhuma proposta para isso”, diz. “O que nos ofereceram não atende minimamente as reivindicações. Se sair outra proposta ao longo do dia, vamos analisar, mas o cenário agora é de greve”.

Altanes ressalta que ainda não há como calcular os prejuízos em entregas caso a paralisação seja confirmada. De acordo com ele, é preciso primeiro saber a adesão por parte dos trabalhadores. “Isso vai depender da adesão, mas, pela análise prévia, a adesão vai ser grande, porque está todo mundo insatisfeito”, afirma.

Uma das principais reclamações, aponta o presidente, é com relação às condições de trabalho. Atualmente, os Correios de Alagoas contam com 970 funcionários, sendo entre 400 e 450 carteiros. O sindicato acredita que seriam necessários pelo menos mais 200 carteiros, além de 100 pessoas para outras áreas operacionais.

“As unidades estão trabalhando com metade do efetivo, por isso uma das principais reivindicações é a melhoria das condições de trabalho”, expõe. “Infelizmente, a greve deve comprometer as entregas, mas queremos condição de trabalho para prestar um serviço melhor à população”, acrescenta.

A paralisação será discutida em todo o Brasil e, se aprovada, começa às 23h. Em nota, os Correios afirmam que a empresa “ainda está em negociação com as representações sindicais”.

Fonte: Gazeta Web

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar