EsportesSLIDE

Corinthians vive pesadelo com expulsões em mata-matas sul-americanos: 4 anos, 6 vermelhos

Thiago Cara | 06:29

Foto: ESPN

Um cartão vermelho complicou a vida do Corinthians em um mata-mata sul-americano. Foi assim na derrota por 1 a 0 para o Colo-Colo, com Gabriel, na ida das oitavas de final da Copa Libertadores, mas também nos últimos anos, em filme que se repete em competições continentais desde 2015.

Com a expulsão de Gabriel, punido aos dez minutos do segundo tempo nesta quarta, o clube brasileiro chegou à marca de seis jogadores recebendo cartões vermelhos em só quatro mata-matas.

PUBLICIDADE

A conta começa na Libertadores de 2015, também nas oitavas de final. Depois perder a partida de ida para o Guaraní-PAR, por 2 a 0, o Corinthians buscava a virada na Arena quando ficou com um homem a menos aos oito minutos do segundo tempo, com a expulsão do lateral Fábio Santos.

Na ocasião, o hoje jogador do Atlético-MG recebeu o cartão direto, por levantar demais o pé e acertar um rival no peito. A eliminação para o Guaraní, com revés por 1 a 0 em São Paulo, ainda teve outro expulso, Jadson, aos 25 minutos, também por um pé alto – que rendeu o segundo amarelo.

Em 2016, mais uma queda na Arena nas oitavas de final e outro jogador expulso. O advertido da vez foi Fagner, por um pontapé fora do lance, já nos acréscimos finais da segunda partida, com a eliminação encaminhada – o Corinthians empatou na ida por 0 a 0 e perdia por 2 a 1.

Já em 2017, as expulsões aconteceram na Copa Sul-Americana. Em confronto com o Racing-ARG, depois de empatar em 1 a 1 em São Paulo, o Corinthians amargou a eliminação na Argentina com vermelhos para Rodriguinho, por solada logo depois de entrar em campo; e Jô, já no fim do jogo.

Gabriel engrossa esse histórico depois de receber dois amarelos no Chile. No primeiro, foi advertido por confusão com Carmona ainda na etapa inicial; no segundo, acertou o mesmo adversário, em lance que o árbitro Wilmar Roldán entendeu como solada, aos dez minutos da segunda metade.

“Fui um pouco com vontade excessiva no segundo lance. No primeiro, fui pegar a bola do cara que estava retardando o jogo. Isso aconteceu várias vezes e não aconteceu de ele (juiz) dar amarelo para a equipe deles. Mas é virar a página, é difícil, estou matutando na minha cabeça”, disse o volante.

Contra o Colo-Colo, ao menos, o Corinthians ainda tem chance de reverter a desvantagem, mas, no dia 29 de agosto, precisará vencer por dois gols. Caso faça 1 a 0, a decisão vai para os pênaltis, enquanto os chilenos têm a vantagem do empate ou de perder por um gol caso marquem uma vez.

Até o jogo de volta pela Libertadores, o Corinthians entra em campo mais cinco vezes, quatro no Campeonato Brasileiro e a volta das quartas de final da Copa do Brasil contra a Chapecoense (vitória por 1 a 0 na ida). O time de Chapecó será o rival também deste domingo, pelo Nacional, às 16h.

Fonte: Espn

 

PUBLICIDADE

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar