MunicípiosSLIDE

Cai parte do ateliê de João das Alagoas

Espaço havia sido reformado e Prefeitura de Capela aguarda laudo técnico para verificar as causas do desabamento. 07/11/2018

Parte da estrutura do ateliê do artesão João das Alagoas de Capela, foi ao chão. O espaço foi reformado e inaugurado no último dia 16 de outubro, mas desabou no último dia 4. A obra foi custeada pelo Governo do Estado e a Prefeitura de Capela ficou responsável pela execução. Apesar do susto não houve perdas financeiras para o artesão e a reconstrução já foi iniciada.

De acordo com a Secretaria do Desenvolvimento Econômico e Turismo (Sedetur), que destinou R$ 198 mil ao serviço, a responsabilidade da execução foi da prefeitura municipal da cidade, por meio de contratação da construtora via processo licitatório. A Prefeitura de Capela se manifestou sobre o ocorrido e disse que todos os procedimentos para obra foram realizados dentro dos parâmetros legais.

“Parte da coberta do anexo do galpão, infelizmente, não suportou o peso e tombou. Mas, as obras já foram iniciadas e está sendo providenciada à confecção do laudo técnico acerca dos serviços. Além do mais, os dois galpões inaugurados estão intactos e em pleno uso das atividades pelo João e seus discípulos”, explica a Chefia de Gabinete da Prefeitura de Capela.

Em contato com o artesão João das Alagoas, ele disse que lamenta o incidente, mas antes explica que o ateliê não desabou. “Na verdade o ateliê não foi abaixo, e sim um espaço de armazenamento dos materiais. Apesar disso, não houve prejuízo humano e nem financeiro”, conta.

O artesão ficou preocupado com a reconstrução do espaço porque depende dele para produzir as peças. “De início o medo era a demora na reconstrução, pois dependemos deste local para fazer nossas peças, trabalhar de verdade no artesanato. Não quero a responsabilização, mas somente a reconstrução”, comentou João informando que a prefeitura já colocou as equipes para trabalhar no local.

Ainda segundo o artesão, antes do tombamento nem ele nem seus ‘discípulos’ tinha notado algo que levasse a estrutura ceder. “Caso houvesse uma suspeita da queda, nós mesmos iríamos procurar a empresa ou a prefeitura para analisar. Não havia nada danificado para causar espantos. Estava tudo intacto, o que houve foi à falta de segurança que a estrutura tinha. Da maneira que ela caiu, estava insegura, a parte não desabou – a linha não torou/quebrou para cair, ela deitou e foi arriando”, explica João.

João disse que a prefeitura deu um prazo de 15 dias para entregar a reconstrução. “Os órgãos e profissionais responsáveis já foram no local. Nesses 15 dias devem entregar a obra”.

Durante a inauguração no dia 16 de outubro, houve uma solenidade que contou com a presença de algumas autoridades inclusive do governador Renan Filho.

Fonte: Tribuna Independente / Lucas França

Facebook Comments

Artigos relacionados

Fechar