MunicípiosSLIDE

FPI devolve 335 animais silvestres à natureza

Esta foi a terceira soltura promovida por esta fase da FPI na região do Sertão alagoano. 12/11/2018

Mais 335 animais foram devolvidos à natureza pela nona etapa da Fiscalização Preventiva Integrada (FPI) do São Francisco, coordenada pelo Ministério Público do Estado de Alagoas (MPE/AL), na manhã desta segunda-feira (12), nesta que foi a terceira soltura já promovida por esta fase da FPI na região do Sertão alagoano.

A grande maioria dos animais soltos foram aves, sendo 108 da espécie galo de campina, 56 extravagantes e 46 jesus meu Deus, todos típicos do bioma caatinga. Também foram devolvidos à natureza dois jabutis.

Os animais são soltos após acolhimento no Centro de Tratamento Animais Silvestres (CETAs) onde passam por um processo de triagem, dividindo-os por espécie e bioma pertencentes, além de tratamento médico veterinário, que inclui desverminação e cuidados nutricionais.

“Após o resgate, os animais são anilhados, onde recebem identificação da FPI e é feita a divisão por espécie e biomas para que eles sejam soltos em seu habitat natural. Alguns precisam de cuidados veterinários, remédios e alimentação reforçada”, explica Laerte Lobo, biólogo da MANEFAU e integrante da equipe fauna.

foto

(Foto: Jonathan Lins / Ascom MP-AL)

Nesta nona etapa da FPI, poucos dos mais de mil animais resgatadas foram classificados como sem capacidade de retornar à natureza. Cerca de quarenta bichos, até o momento, serão encaminhados ao Centro de Tratamento de Animais Silvestres do IMA em Maceió. As razões são por estarem cegos, porque tiveram suas asas de voo cortadas ou precisam de um tempo maior recuperação para retornar à natureza.

Trabalho contínuo

O tenente coronel Coutinho explica que o Batalhão de Polícia Ambiental (BPA) realiza durante todo o ano investigações para identificar traficantes de animais em todo o Estado.

“Nosso trabalho no setor de inteligência é justamente esse de investigar possíveis alvos que traficam animais em todo o Estado. Além disso, verificamos as denúncias recebidas anonimamente por meio do disque denúncia 181 que colabora de forma significativa ao processo de investigação”, explica o coronel Coutinho, do BPA.

Saldo positivo

Epitácio Correia, gerente de flora, fauna e unidades de conservação do IMA e coordenador da equipe fauna da FPI, também formada por técnicos do IMA, IBAMA, BPA, IPMA (Instituto de Preservação da Mata Atlântica), MANEFAU e as ONG’s Animalia e SOS Caatinga, conta que a consciência ambiental promovida pela FPI tem surtido efeito na população.

foto 2

(Foto: Jonathan Lins / Ascom MP-AL)

“Dos mais de mil animais que já resgatamos conseguimos devolver à natureza 70% disso. Isso é muito gratificante comparado a outras edições que já tivemos um número perto de três mil animais aqui resgatados e apreendidos no Alto Sertão. Isso mostra que o trabalho da FPI tem surtido efeito porque já percebemos nas pessoas a consciência ambiental. A soltura é a cereja do bolo nesse processo, quando ficamos mais contentes com o resultado do empenho da equipe”, conta Epitácio Correia.

A FPI disponibiliza ainda a entrega voluntária de animais silvestres que, nesta edição, estão sendo recebidos na sede do Ministério Público em Santana do Ipanema. O horário de atendimento é das 08h às 17h. O indivíduo que se propõe a entregar um animal não é responsabilizado criminalmente e é dispensado da multa.

 

Fonte: Ascom MP/AL

Facebook Comments

Artigos relacionados

Fechar