Blog do DreschBLOGSSLIDE

BARTOLOLEU DRESCH | GOVERNO LIBERA R$ 480 MIL PARA O PINHEIRO

19|01|2019 ÀS 17:51

Coordenador da Defesa Civil de Maceió, Dinário Lemos

Oitenta famílias do bairro do Pinheiro, que deixaram suas moradias em decorrência do agravamento das fissuras na região, vão receber R$ 480 mil, liberados pelo Ministério do Desenvolvimento Regional. Segundo o coordenador da Defesa Civil de Maceió, Dinário Lemos, o valor contempla as 80 famílias que deixaram seus imóveis após a orientação dos técnicos. Cada família receberá R$ 1 mil, por seis meses, como auxilio-aluguel. Outros moradores também devem receber o benefício, uma vez que este foi apenas o primeiro repasse de recursos.

Pinheiro recebe R$ 480 mil 2

Ainda segundo o coordenador da Defesa Civil do município, as equipes continuam nas ruas do bairro avaliando a situação e fazendo cadastros para atender as exigências do ministério. “Ao todo a Defesa Civil recomendou a saída de moradores de 179 imóveis do Pinheiro, sendo sete casas e 172 apartamentos nos conjuntos Jardim das Acácias, Divaldo Suruagy e Potengy” assinalou Dinário Lemos.

Recorde de mortes violentas

O Brasil bateu recorde de mortes violentas em 2017, chegando a 63.880 casos, além disso, o número de mortes cometidas por policiais em serviço e de folga, cresceu 20% ante 2016. A informação faz parte da 29ª Edição do Relatório Mundial de Direitos Humanos, divulgado pela Human Rights Watch (HRW) que analisa a situação em mais de 90 países. A questão da letalidade policial é abordada no caso da intervenção federal no Rio de Janeiro entre fevereiro e dezembro de 2018. Segundo os dados a letalidade violenta aumentou 2%, enquanto que as mortes cometidas pela polícia cresceram 44%. O relatório aponta ainda que a demora em solucionar os casos de assassinatos contribuem para o ciclo de violência no país. Um estudo anexo mostrou que o Ministério Público apresentou denúncia em apenas dois em cada dez casos de homicídio no Brasil.

Taurus fatura R$ 10 mi

A Tauruspar, controlada pela Taurus Armas, pode ter embolsado cerca de R$ 10 milhões com a venda de papéis da fabricante na última terça-feira, dia da edição do decreto de flexibilização de armas. Conforme comunicado a Tauruspar vendeu 923 mil ações preferenciais e 263 mil ações ordinárias. Considerando o preço do fechamento dos papéis na segunda-feira, o valor embolsado seria de R$ 9,97 milhões.

Disputa por moedas da fonte

A cada ano, cerca de 1,5 milhão de euros em moedas, que são jogadas por turistas na Fontana di Trevi, em Roma, são retiradas do monumento e doadas a uma instituição de caridade católica. Mas agora, a prefeita de Roma, Virgínia Raggi,        quer que a verba seja investida na infraestrutura precária da capital italiana. A Caritas (rede de organizações humanitárias da Igreja Católica) diz que ainda vai tentar impedir a ação da prefeita, porque isso irá prejudicar os mais necessitados.

Disputa por moedas da fonte 2

Nesta semana, o jornal Avvenire, oficial da Conferência Episcopal Italiana, publicou artigo contundente contra a prefeita com o título “Dinheiro tirado dos mais pobres”. A mudança foi aprovada pelos vereadores e começará em abril. A Fontana de Trevi tem cerca de 300 anos e é visitada por milhões de turistas todos os anos. A maior parte atira moedas de costas para o monumento e faz um pedido.

Fifa quer 48 seleções na Copa

Ao final da Assembleia Geral da Fifa, que aconteceu esta semana no Marrocos, o presidente da entidade Gianni Infantino voltou a falar sobre a possibilidade da Copa do Mundo em 2022 no Qatar, contar com 48 seleções em vez de 32. O suíço presidente da Fifa disse que a maioria das federações deseja que o aumento se concretize. Infantino defende ainda que com o aumento de seleções, algumas sedes sejam deslocadas para países limítrofes com o Qatar, solução que também é bem vista, segundo ele.

  • Servidores públicos de Maceió, definiram uma recomposição salarial na ordem de 16,10% para as categorias do munícipio, que segundo as lideranças, perdem direitos desde 2015,
  • A reunião contou com a participação de representantes do Sinteal, Sindspref, Sindiprev, Sindac, Sindnutri e também da CUT de Alagoas.
  • Os sindicalistas acertaram ainda, além da recomposição salarial, que vão cobrar da Prefeitura o pagamento das progressões de carreira. De acordo com os servidores, estes pagamentos não estão sendo realizados, mesmo com a exigência legal.
  • Por outro lado, as lideranças decidiram fazer um levantamento das finanças do município, com o objetivo de comprovar que a Prefeitura tem margem para pagar o direito pleiteado.

Fonte: Tribuna Hoje

Facebook Comments

Artigos relacionados

Fechar