Blog do DreschBLOGS

BARTOLOMEU DRESCH | CASAL CONSOLIDA A RECUPERAÇÃO FINANCEIRA

Blog do Dresch | 03|02|2019 às 17:44

Nos últimos quatro anos, graças a um programa de gestão, a Companha de Saneamento de Alagoas (Casal) conseguiu dar inicio a um ciclo de recuperação econômico-financeira, assegurou seu presidente, Clécio Falcão. Para se ter uma ideia, em janeiro de 2015 a arrecadação da companhia era de R$ 22 milhões aproximadamente. Quatro anos depois, em dezembro de 2018, o faturamento atingiu R$ 43 milhões. Esse crescimento reflete o fortalecimento da empresa que aposta em um futuro bastante positivo.

Recuperação financeira 2

Ainda de acordo com Clécio Falcão, “isso comprova um crescimento real da companhia, que ampliou seus serviços, realizou novas obras, recuperou sistemas. Tudo foi possível graças ao apoio do governador Renan Filho para adotar as medidas de gestão necessárias para recuperar a Casal” assinalou o presidente da Casal. Ele salientou ainda o empenho dos funcionários, comprometidos com a valorização e o fortalecimento da empresa.

Avaliando os adoçantes

Adoçantes artificiais de baixa caloria não auxiliam na perda de peso nem na melhoria da saúde das pessoas. A conclusão é de um estudo da Universidade de Harward a pedido da Organização Mundial da Saúde (OMS) e publicado no British Medical Journal. O estudo analisou 56 pesquisas no impacto do uso de adoçantes como o aspartame e a estévia, no peso, no controle glicêmico e em doenças cardiovasculares. O estudo concluiu não existir “nenhuma diferença estatística ou clinica relevante entre aqueles que utilizam adoçantes e açúcar. Foram observados o impacto do produto baseado em parâmetros como a saúde bucal, doenças renais e cardiovasculares, câncer, níveis de açúcar no sangue, peso e índice de massa corporal (IMC) em adultos e crianças.

Reduzindo o açúcar

Se os adoçantes são nulos em termos de saúde o consumo de açúcar ainda é um problema mundial. Os fabricantes de bebidas estão sob pressão para reduzirem o teor do açúcar em seus produtos, devido á obesidade. Muitas empresas optaram por usar adoçantes artificiais em vez de açúcar, principalmente em refrigerantes. Até agora, a indústria não conseguiu se adaptar às exigências.

O que vai sobrar

Segundo o secretário especial de desestatização e desinvestimento do Ministério da Economia, Salim Mattar, o objetivo do governo Bolsonaro é manter apenas Petrobrás, Banco do Brasil e Caixa Econômica, e com tamanho reduzido. Disse que o governo vai vender todas as estatais e não competir com o mercado. Com as privatizações o secretário acredita que vai ser possível levantar entre R$ 700 bilhões a R$ 800 bilhões, que poderiam ser usados para abater a dívida pública, hoje em R$ 3 trilhões.

Demitidos por corrupção

Dez servidores federais foram demitidos por atitudes ilícitas no trabalho em Alagoas, anunciou a Controladoria-Geral da União (CGU). Entre os demitidos, sete perderam o emprego por atos relacionados à corrupção. Os demais foram expulsos por abandono de cargo, inassiduidade, e acumulação ilícita de cargos. Entre todas as unidades da federação, Alagoas é o 17º estado com número absoluto de servidores demitidos, juntamente com Rondônia.

Demitidos por corrupção 2

Ainda de acordo com a CGU, desde o início da série histórica, no período compreendido entre 2003 a 2018, o estado de Alagoas registrou um total de 93 punições expulsivas. O levantamento inclui entre as penalidades a demissão de servidores efetivos, cassação de aposentadoria e destituição de cargos em comissão, aplicadas por órgãos e autarquias.

  • Deputados e senadores elegerão, nesta sexta-feira (1º) as novas mesas diretoras, que irão comandar as duas Casas Legislativas. A votação será secreta, conforme entendimento do Supremo Tribunal Federal (STF).
  • Além da presidência, estão em disputa também, a primeira e segunda vice-presidências das Casas, quatro secretarias e as respectivas quatro suplências.
  • O favorito para assumir mais uma gestão na presidência da Câmara é Rodrigo Maia (DEM-RJ) principalmente pelos acordos que fechou com partidos tanto da direita como da esquerda. Mas ele não presidirá a sessão. Quem conduzirá a sessão será o parlamentar mais idoso entre os de maior número de legislaturas.
  • No Senado a disputa é mais acirrada e pelo andar da carruagem muitas surpresas acontecerão. Para ser eleito, o candidato precisa receber no mínimo 41 votos. Se isso não ocorrer acontecerá um segundo turno da votação.

Fonte: Blog do Dresch

Facebook Comments

Artigos relacionados

Fechar