BrasilSLIDE

Investigação aponta que atiradores de Suzano planejavam ataque há pelo menos 1 ano

14/03/2019

Os autores do massacre na Escola Estadual Raul Brasil, em Suzano, região metropolitana de São Paulo, planejaram o ataque por um ano, segundo apontam as investigações da Polícia Civil. Na tragédia, que aconteceu nessa quarta-feira (13), 10 pessoas morreram e outras 11 ficaram feridas.

De acordo com os policiais, Guilherme Taucci Monteiro, de 17 anos, e Luiz Henrique de Castro, 25, pretendiam matar mais pessoas do que as 13 vítimas do massacre de Columbine, ocorrido em 1999 nos Estados Unidos. Em abril, esse crime completará 20 anos.

A constatação da polícia foi após a apreensão de documentos e computadores que, segundo as autoridades, revelam que os assassinos já pesquisavam ataques em escolas dos Estados Unidos há pelo menos 1 ano. 

Grupos cibernéticos de ódio

Segundo apurou o portal R7, os atiradores participavam de um fórum de propagação de ódio na internet brasileira, para juntar dicas e fazer planos para o crime.

O fórum, que só é acessível na deep web, também conhecida como dark net, uma área ‘obscura’ da internet, é conhecido como um local onde é discutido abertamente prática de crimes, violação de direitos humanos, propagação de racismo, homofobia e misoginia.

Nesta quinta (14), um dia após o atentado em Suzano, membros usaram os chans (fóruns) para celebrar o massacre.

Fórum foi criado por presidiário condenado a 41 anos

Também nesta quinta, a blogueira e pedagoga argentina Lola Aronovich, naturalizada brasileira, publicou uma postagem pouco antes de sair de Maceió, onde participou de uma mesa redonda sobre resistência e lutas das mulheres.

Na postagem, Lola fala sobre o massacre em Suzano e explica que o fórum anônimo foi criado em 2013 por Marcello Valle Silveira, pouco depois de sair da cadeia. No final do ano passado, ele foi condenado a 41 anos de prisão por associação criminosa, divulgação de imagens de pedofilia, racismo, coação, incitação ao cometimento de crimes e terrorismo cometidos na internet.

Segundo o blog, antes de ser condenado novamente, Marcello seguiu fazendo ameaças cibernéticas, criou novos sites de ódio e informou planos de como arruinar vidas de “inimigos” e de como convencer outros adeptos.

Apesar de ser condenado pela Justiça, Lola explica que Marcello deixou membros do fórum para trás e que continuam soltos e seguindo os “preceitos” do grupo.

A professora diz que acompanhava esse fórum, mas deixou de segui-lo já que os participantes migraram para outro sistema cibernético, onde ela não conseguiria acesso. Segundo Lola, os participantes sempre diziam que iriam fazer massacres.

Sinais da tragédia

Lola Aronovich revelou um e-mail que recebeu no mesmo dia da tragédia de Suzano. Na mensagem, a pessoa diz que tem prints que provam que o crime foi premeditado, planejado e anunciado no fórum até cinco dias antes da tragédia. O e-mail também critica a falta de ação da Delegacia de Crimes Virtuais e da Polícia Federal:

Eu tenho alguns prints que provam que o crime foi premeditado, planejado e anunciado no chan até cinco dias antes do acontecimento, e nenhuma ação da Delegacia de Crimes Virtuais ou da Polícia Federal foi tomada. No dia 7/3 o crime foi anunciado e o sinal de que eles estava prestes a acontecer seria uma música. No dia 11 a música Pumped Up Kicks (que fala sobre Columbine) foi postada junto com uma imagem de dois personagens, onde um deles usa a camiseta com os dizeres ‘Natural Selection’, a mesma camiseta que um dos atiradores usava no momento do massacre. O atentado ocorreu no dia 13, e o último print é a conversa que os usuários estavam tendo logo depois. Sei que você se importa em denunciar os crimes cometidos pelos chans e eu acho que eles não podem ficar de fora da discussão sobre essa tragédia

 
A tradução do refrão da música Pumped Up Kicks que fala sobre o ataque em Colombine 
O administrador do fórum explica o perfil de um dos atiradores
Outros membros se colocam à disposição de novos ataques
Planos e lembranças de tragédia em Realengo
Membros sugerem matar blogueira e feministas nordestinas
Ameaças nos comentários do blog de Lola
Prints recebidos por Lola que mostram ameaças à jornalista do portal VICE

Lola Aronovich diz temer que esse tipo de massacre passe a ser mais comum no Brasil com a liberação das armas. Cerca de 20 testemunhas já foram ouvidas pela polícia na investigação do massacre em Suzano. Não há previsão de novos depoimentos nesta quinta-feira (14). Os corpos das vítimas estão sendo velados na Arena Suzano, o ginásio de esportes da cidade.

Fonte: TNH1

Facebook Comments

Artigos relacionados

Fechar