MundoSLIDE

Kim Jong-un dá até o fim do ano para que EUA se tornem mais flexíveis

Líder norte-coreano afirmou que só vai se reunir novamente com o presidente Donald Trump se os Estados Unidos adotarem uma nova atitude. 13/04/2019- 16:12

O líder norte-coreano, Kim Jong-un, afirmou que só está interessado em se reunir novamente com o presidente norte-americano, Donald Trump, se o país adotar uma nova atitude. Ele disse que esperará “até o fim deste ano” para os americanos decidirem ser mais flexíveis, reportou a mídia estatal KCNA neste sábado (13).

“É essencial que os EUA parem com seu atual método de cálculos e nos abordem com um novo”, disse Kim em discurso à Assembleia Popular Suprema na sexta-feira (12).

Trump e Kim se reuniram duas vezes, em Hanói (fevereiro) e em Singapura (junho). Apesar da demonstração de boa vontade, os dois líderes fracassaram em entrar em um acordo sobre o fim dos programas nuclear e de mísseis da Coreia do Norte e a retirada das sanções econômicas sobre o país.

Kim concordou em extinguir os programas, mas não existe prazo para que isso aconteça nem critérios claros para verificação. Os Estados Unidos impõem o fim do programa como condição para a retirada de sanções contra o país.

 

Presidente dos EUA, Donald Trump, e o líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, em imagem de arquivo — Foto: Reuters/Leah Millis

Presidente dos EUA, Donald Trump, e o líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, em imagem de arquivo — Foto: Reuters/Leah Millis

Trump mais tarde emitiu um comunicado no Twitter que ressalta a força de seu relacionamento pessoal com Kim e apontou para o que chamou de “potencial tremendo” da Coreia do Norte de sucesso econômico, assim que a questão do programa de armas de Pyongyang for resolvida.

“Uma terceira cúpula seria boa pois entendemos completamente onde cada um está”, disse o presidente dos EUA em algumas publicações no Twitter na manhã deste sábado.

“Eu estou ansioso pelo dia, que pode ser em breve, em que as sanções e armas nucleares possam ser removidas, e então assistir à Coreia do Norte se tornar um dos países de maior sucesso no mundo!”, afirmou.
 

Facebook Comments

Artigos relacionados

Fechar