PoliticaSLIDE

Postura agressiva não condiz com a minha história, diz ministro

14/04/2019- 11h30

Em resposta enviada por sua assessoria, o ministro Marcelo Álvaro Antônio afirma que posturas agressivas ou ameaçadoras não guardam relação com sua história de vida e que a deputada federal Alê Silva move uma campanha difamatória contra ele motivada por disputa de poder pelo comando de diretórios municipais do PSL em Minas.

“É importante destacar para aqueles que não me conhecem que essa postura agressiva e ameaçadora não tem nenhuma correspondência com a minha história de vida. Mais uma vez, atribuem a mim comportamentos e atitudes que distorcem completamente da minha pessoa”, afirma.

O ministro do Turismo disse mais uma vez aguardar com serenidade a conclusão das investigações dos órgãos públicos e voltou a afirmar que a Folha adota uma conduta político-partidária no caso.

“Fica cada vez mais evidente o envolvimento da Folha de S.Paulo em um lado de uma disputa político-partidária, de caráter local, numa espécie de vale-tudo para tentar atingir a minha honra”, afirmou, acrescentando que o jornal produz reportagens baseadas em ilações e em “ouvi dizer”.

“É lamentável ainda que a senhora Alessandra Silva, deputada eleita pelo PSL de Minas, insista em sua campanha difamatória motivada por uma frustração pessoal”, prossegue o ministro.

Segundo ele, a deputada se sentiu prejudicada com a sua ida para o Ministério do Turismo, o que levou o suplente Enéias Reis, “que foi mais votado do que ela em algumas cidades”, a assumir sua vaga.

“Esse fato garante ao agora deputado Enéias Reis a prerrogativa de indicar a comissão do PSL nesses municípios, inclusive na terra natal dela, Coronel Fabriciano, e tira da deputada esse poder”, disse o ministro, acrescentando: “É incompreensível que uma briga partidária municipal fique ganhando espaço na mídia nacional e, o pior, criando factoides e dando desnecessário trabalho a instituições sérias, ocupadas e comprometidas, como é a Polícia Federal, o Ministério Público e a Justiça. Como disse, reafirmo: aguardo com serenidade a conclusão das investigações.”

O ministro vem negando a existência de esquema de candidaturas de laranjas em Minas e a sua participação em irregularidades. “Vou provar que nunca promovi ou orientei ninguém a fazer qualquer situação desta natureza”, afirmou na semana passada.

Fonte: Folhapress

Facebook Comments

Artigos relacionados

Fechar