Alagoas

Estudo vai avaliar saúde dos recifes de corais de Maragogi e Japaratinga

17 de maio de 2019 | 08:14 | Ao longo da Costa dos Corais, em Alagoas e Pernambuco, esse ambiente é protegido por lei federal

Equipe coleta água de corpos hídricos para analisar sua qualidade e sua influência nos recifes da região (Foto: Acervo pessoal) 

Os recifes de corais representam um ambiente de grande importância ecológica, servindo de abrigo e local de reprodução para diversos organismos e animais. Eles influenciam no clima através da captação de gás carbônico da atmosfera, garantem proteção diante da erosão costeira e apresentam relevância socioeconômica, sendo um dos principais locais utilizados pelas atividades turísticas e pesqueiras. No entanto, os recifes são um ecossistema bastante sensível às alterações ambientais, e que vêm sofrendo com a crescente urbanização e mudanças climáticas.

Ao longo da Costa dos Corais, em Alagoas e Pernambuco, esse ambiente, apesar de protegido por lei federal por, se encontrar dentro de uma Área de Proteção Ambiental (APA).

A qualidade da água do ambiente recifal, por exemplo, é um fator extremamente importante para avaliar sua “saúde”. O lançamento de efluentes não tratados como os esgotos nos corpos hídricos (rios, estuários e lençol freático), além da intensa emissão de gás carbônico na atmosfera, reduzem a qualidade da água e podem gerar grandes impactos nos recifes, através dos processos de eutrofização e acidificação costeira. Esses processos resultam em perdas de biodiversidade, impactos no metabolismo dos organismos, branqueamento e morte de inúmeras colônias de corais, afetando toda a cadeia.

O acompanhamento da qualidade da água desse ambiente ao longo do ano é de extrema importância para auxiliar em ações preventivas e de conservação. Por isso o biólogo Brenno Januário, mestre em Oceanografia pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e atualmente doutorando também em Oceanografia pela mesma instituição, integrante da equipe do Programa Ecológico de Longa Duração Costa dos Corais Alagoas (PELD CCAL), em parceria com a Área de Proteção Ambiental Costa dos Corais (APACC) e Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), além do auxílio da Secretaria do Meio Ambiente de Maragogi e Japaratinga e Pontal de Maragogi, está realizando um estudo para avaliar a influência dos estuários e da água subterrânea sobre a região recifal de Maragogi e Japaratinga.

O biólogo afirma que a água subterrânea é representada principalmente pelo lençol freático (ou reservatório subterrâneo de água) e trata-se de uma grande fonte de matéria orgânica, nutrientes e poluentes para a região recifal, sendo muitas vezes bem mais significativa do que os rios e estuários. “Durante todo o período de estiagem entre 2018 e 2019, foram realizadas coletas de água nessas áreas, e agora estão sendo efetuadas as coletas no período chuvoso. Depois dessas coletas, as análises vão mostrar a verdadeira saúde desses ambientes”, finaliza Bennno Januário.

Fonte: Tribuna Hoje

Facebook Comments

Artigos relacionados

Fechar