GeralSLIDE

Pacientes de hemodiálise irão denunciar irregularidades de hospital de Arapiraca no Ministério Público

Segundo pacientes, quadro de funcionários está baixo, devido ao corte nos salários, o que prejudica o atendimento médico do local. | 25|05|2019 ÀS 21:37

Após a denúncia sobre irregularidades no Memorial Djacy Barbosa, antigo Hospital Afra Barbosa, publicada pelo Portal Já É Notícia, nesta semana, pacientes da unidade hospitalar voltaram a procurar o Portal, afirmando que o descaso será denunciado junto ao Ministério Público do Estado.

Em vídeo, gravado por pacientes do local, é possível notar que o ar-condicionado da sala de hemodiálise não está funcionando e os pacientes precisam recorrer a ventiladores para aguentarem fazer o tratamento. “O ventilador é um antro de bactéria. Estamos sujeitos a tudo aqui. Sem ar-condicionado, há mais de três meses que a gente reclama e eles não resolvem”, desabafou uma paciente identificada como Valéria.

A paciente ainda denuncia que os técnicos de enfermagem estão com salários cortados em 80% e, por isso, o quadro de funcionários diminuiu. “Um técnico de enfermagem para atender sete pacientes, que deveria ser um técnico para três pessoas, mas os funcionários estão apenas recebendo 20% do salário”.

Em um desabafo, a usuária do Antigo Afra Barbosa diz que o dinheiro do hospital que deveria está sendo investido com o tratamento de pacientes e com o pagamento dos funcionários, está sendo gasto com reformas. Além disso, ela reclama do descaso na Unidade de Tratamento Intensivo do Local.

“Se um paciente adoecer, ele morre. Esta semana foram setes mortes na UTI. Uma colega nossa está hospitalizada há mais de oito dias, com suspeita de pneumonia e nem o raio x foi feito”.

Devido os absurdos constatados na unidade médica, os pacientes irão denunciar o caso ao Ministério Público Estadual, na próxima segunda-feira (27).

A redação do Portal tentou contato com a ouvidoria do Memorial Djacy Barbosa (antigo Hospital Afra Barbosa), através do número disponível para reclamações, o 35211064, mas ninguém atendeu as chamadas. A redação também tentou contato com dois números pessoas da ouvidora responsável, mas ela também não atendeu aos telefones.

A assessoria jurídica do hospital caracterizou a denuncia realizada pelo portal, publicada na última quarta-feira (22), como “leviana e sensacionalista”, a redação aguarda um posicionamento dos gestores do hospital para esta nova denúncia, agora reforçada por um vídeo gravado no local e pelo depoimento de pacientes da unidade.

Fonte: Rota do Sertão

Facebook Comments

Artigos relacionados

Fechar