Home Alagoas Secretário sugere retirada da PM para jogos de futebol em Alagoas

Secretário sugere retirada da PM para jogos de futebol em Alagoas

Por ABN - ALAGOAS BRASIL NOTICIAS

Secretario de segurançaUma encontro reuniu na manhã desta quinta (12), representantes da cúpula da segurança pública, Ministério Público, Tribunal de Justiça, Federação Alagoana de Futebol e clubes para formação de uma comissão que pretende discutir o cenário do futebol estadual. Após os confrontos entre torcidas organizadas no último domingo, o secretário de segurança, Coronel Lima Junior, apontou que responsabilidades devem ser divididas e questionou a presença da Polícia Militar em eventos privados e ainda apontou para o fim das organizadas e clássicos com torcida única.

Assim como outros pronunciamentos de membros da Polícia Militar durante a semana, o Coronel Lima Junior questionou a participação da PM em eventos privados. “Até que ponto a Polícia Militar deve trabalhar em evento privado? Temos de traçar pontos, que dê responsabilidades a todos os envolvidos. A segurança pública não vai pagar um preço, em que a federação e os clubes também tem responsabilidade”, disse.

O secretário ainda reforçou a ideia da retirada das torcidas organizadas dos estádios. “ A ideia é banir as torcidas organizadas do futebol alagoano, que passaram de torcidas organizadas para “bandos desorganizados de criminosos”, e que os clássicos a partir de hoje sejam feitos com torcida única”, concluiu.

Por outro lado, a representante do Ministério Público e do Juizado do Torcedor, promotora Sandra Malta, disse que o órgão concorda com o secretário em relação a extinção de torcida organizada, dizendo inclusive que há dez anos o MP já havia realizado uma ação civil pública pedindo essa extinção, e concorda também com a torcida única nos estádios. Em relação a segurança, ela disse que é dever sim, de acordo com o estatuto do torcedor, que o estado promova a segurança pública dentro das praças esportivas estádios.

“O MP toma medidas necessárias para que não haja mais violência dentro dos estádios. O nosso trabalho é de prevenção. Defendemos também a extinção das torcidas organizadas e a realização de clássicos com torcidas únicas. Quando tomamos a medida de que no jogo entre CRB e Vasco, os torcedores do CRB não poderiam ir ao estádio caracterizados, foi porque não poderíamos admitir que dois dias após o que aconteceu no clássico houvesse um jogo como se nada tivesse acontecido. A medida só não foi defendida pelos clubes e torcedores,  mas a sociedade entende a nossa preocupação”, explicou.

O presidente do Conselho Estadual de Segurança Pública (Conseg), Antônio Carlos Gouveia lembrou da ausência dos presidentes Rafael Tenório e Marcos Barbosa, de CSA e CRB respectivamente e que os dirigentes serão notificados pela ausência.

Facebook Comments

você pode gostar

Deixe um Comentário