Home NotíciasPolitica Estudantes de Alagoas protestam contra Temer e pedem eleições diretas no Brasil

Estudantes de Alagoas protestam contra Temer e pedem eleições diretas no Brasil

Por Alagoas Brasil Noticias

Um grupo de estudantes fez um ato, na manhã desta quinta-feira (1º), na Praça do Martírios, em Maceió, contra a medida tomada pelo Senado Federal de cassar o mandato da ex-presidente Dilma Rousseff (PT) e, consequentemente, abrir espaço para o governo definitivo de Michel Temer (PMDB). O movimento pede novas eleições diretas no Brasil para escolha do presidente de República.

O evento foi organizado, basicamente, pelas redes sociais, e teve baixa adesão, embora boa parte tenha confirmado presença no ambiente virtual. Os estudantes participaram de uma oficina de cartazes, marcaram apresentações culturais no local e aguardaram um grupo maior para sair em caminhada pelas ruas do centro da capital.

O ato contou com a paGGrticipação de representantes da União Nacional dos Estudantes (UNE), União da Juventude Socialista (UJS), a Juventude do Partido dos Trabalhadores (JPT), do movimento de mulheres, trabalhadores rurais e pescadores de Alagoas. 
“No evento, tinha mil pessoas confirmadas e ele foi marcado de última hora porque precisávamos dessa resposta imediata nas ruas. O intuito é chamar a atenção para a nossa insatisfação com o governo Temer e para que a população tome ciência da quantidade de direitos que ela vai perder com o impeachment da presidente Dilma”, explica a estudante Maria Eduarda, que organizou o ato nas redes sociais. 

Ela garante que o movimento é apartidário, embora jovens filiados ao PT estivessem presentes. “Viemos prestar o nosso apoio ao ato e contribuir para que este seja o primeiro de muitos. A ideia é que depois de hoje haja uma reunião na Ufal para que os novos atos sejam marcados”, informou o presidente da UJS, Pedro Mendes. 

De acordo com os organizadores, o protesto tem nível nacional e seria uma estratégia para dar um contraponto da oposição menos de 24 horas da consumação do impeachment, classificado por eles de golpe de Estado.

 

Facebook Comments

você pode gostar

Deixe um Comentário