Home Brasil TSE e TCU identificam mais de 200 mil irregularidades nas campanhas

TSE e TCU identificam mais de 200 mil irregularidades nas campanhas

Por Alagoas Brasil Noticias

150921223432_sp_gilmar_mendes_640x360_stf_nocredit

Técnicos do Tribunal Superior Eleitoral (TER) e do Tribunal de Contas da União (TCU) identificaram nesta segunda-feira, 05, um dia após as eleições, 200.011 casos com possíveis indícios de irregularidades nas receitas e despesas de campanhas, totalizando R$ 659.364.470,23. Uma pessoa cadastrada no Bolsa Família, por exemplo, doou mais de um milhão de reais para campanha.

De acordo com o TSE, casos como o número de 37.888 doadores inscritos no Programa Bolsa Família doaram mais de R$ 36 milhões; 55.670 doadores desempregados que desembolsaram mais de R$ 84 milhões; doadores cuja renda conhecida é incompatível com o valor doado que destinaram mais de R$ 207 milhões para as campanhas; 43.382 casos com concentração de doadores em uma mesma empresa com desembolso superior a R$ 90 milhões; e 14.510 doadores sócios de empresas que recebem recursos da administração pública que deram R$ 187 milhões.

O TSE ainda destacou mais alguns casos curiosos como o aumento do número de doadores mortos, que passou de 143 para 250; uma pessoa cadastrada no Bolsa Família que doou R$ 1,2 milhão em bens e em dinheiro; e um professor universitário que doou R$ 300 mil.

Mais irregularidades foram registradas pelo tribunal com relação a fornecedores, sócios, pessoas cuja última renda declarada é de 2013 e dentre outros casos. O TSE decidiu não divulgar os nomes dos doadores e beneficiários.

Investigações

Após constatadas as irregularidades, os indícios serão encaminhados aos juízes eleitorais, responsáveis pelo exame da prestação de contas de campanha, e também são enviados ao Ministério Público Eleitoral para investigação.

Trabalharam nas investigações o Núcleo de Inteligência da Justiça Eleitoral, que é formado por vários órgãos de fiscalização do Estado – TCU, Receita Federal do Brasil, Ministério Público Federal, Departamento de Polícia Federal, Tribunais Regionais Eleitorais e Ministério da Transparência, Fiscalização e Controladoria-Geral da União.

Facebook Comments

você pode gostar

Deixe um Comentário