Home NotíciasPolitica Júlio Cezar: o prefeito da indignação e da esperança

Júlio Cezar: o prefeito da indignação e da esperança

Por Alagoas Brasil Noticias

Frustrada, decepcionada e indignada a maioria absoluta do eleitorado de Palmeira dos Índios elegeu Júlio Cezar prefeito para resgatar a autoestima e a abertura de oportunidades  

julio_cezar

Finalmente a maioria absoluta do eleitorado elegeu nesse dia 02 de outubro de 2016 Júlio Cezar prefeito de Palmeira dos Índios, materializando o sentimento de mudança provocado pela frustração, decepção e indignação generalizada.

Subestimado por parte da elite político-econômica da Terra Xukuru-KarirI, o filho da verdureira conquistou o mais importante cargo político-administrativo municipal sem comprar votos nem vender a alma ao “diabo” e, com uma votação histórica e avassaladora.

O grupo derrotado nas urnas ficará com Júlio Cezar atravessado na garganta, como uma espinha que rompe a jugular provocando o sangramento e a inevitável extinção de um projeto de governo pessoal, autocrático, truculento e soberbo. Essa derrota jamais será digerida e ela sempre provocará urticária nas entranhas daqueles que pensavam transformar Palmeira dos Índios num curral eleitoral ou extensão de suas casas.

A vitória de Júlio Cezar lavou o peito e a alma do eleitorado que há anos aguardava o momento oportuno para expressar a sua desaprovação e o seu repúdio a uma série de fatos que aconteceram ao longo de duas administrações, especialmente a última.

O povo sofreu, foi menosprezado, tripudiado, massacrado e pilhado em seus sonhos. Era natural a reação.

O recado foi dado. Agora Júlio Cezar tem a responsabilidade legal e sobretudo moral de trabalhar muito, trabalhar mais e trabalhar muito mais. O prefeito eleito não pode repetir os erros dos truculentos e dos soberbos.

Júlio Cezar deve corresponder à confiança e a esperança que foram depositadas em sua pessoa e nunca se esquecer da sábia reflexão que o ex-presidente norte-americano John Kennedy enfatizou certo dia: “Encontrei uma maneira infalível de fracassar: agradar a todos ao mesmo tempo”.

Prefeito não deve jogar para a plateia nem atender às conveniências de grupos sedentos de poder, de benesses, de cargos e dinheiro. Prefeito tem que pensar e trabalhar pelo coletivo, pela legalidade, transparência e justiça.

A eleição de Júlio Cezar representa a esperança de um povo que tinha perdido a autoestima. Que essa esperança se materialize em políticas públicas que proporcionem de fato e de direito qualidade de vida à população por meio da saúde, trabalho, educação, moradia, segurança e esporte, entre outros direitos fundamentais.

Facebook Comments

você pode gostar

Deixe um Comentário