Home NotíciasSaúde Quase 800 postos de saúde de Alagoas podem parar de receber recursos federais

Quase 800 postos de saúde de Alagoas podem parar de receber recursos federais

Por Alagoas Brasil Noticias

Unidades têm 60 dias para implantação de prontuário eletrônico; só 31 já possuem sistema

ubs

O Ministério da Saúde deu até o dia 10 de dezembro para todos os municípios do país adotarem o prontuário eletrônico nos postos de saúde. Em Alagoas, das mais de 800 unidades espalhadas pelos municípios, apenas 31 estão enviando os dados de forma informatizada. Quem não cumprir a medida terá suspenso o recebimento de recursos federais para manutenção dos serviços.

A implantação da plataforma digital, o e-SUS AB, segundo o Ministério da Saúde, visa possibilitar o acompanhamento em tempo real o histórico, dados e resultados de exames, entre outros serviços, além de dar ao Ministério a possibilidade de saber como está sendo gasto o Piso de Atenção Básica (PAB) Variável, que é responsável pelo custeio dos procedimentos realizados nas unidades de saúde básicas.

Em resposta ao CadaMinuto, o Ministério informou que no país há 10.134 mil Unidades Básicas de Saúde (UBS) que já utilizam o prontuário eletrônico. Porém o desafio é que nesse curto espaço de tempo 31.554 mil unidades espalhadas pelo país se ajustem a realidade digital.

“Atualmente, 76% das unidades básicas de saúde ainda registram o histórico do paciente em papel, apesar de dados do Ministério das Comunicações apontarem que todas as cidades contam com ponto de internet banda larga”, aponta o Ministério da Saúde.

As prefeituras que não se adequarem podem ter suspensos os valores dos repasses do PAB Variável. Após o prazo, os repasses ficarão sujeitos à implantação do prontuário eletrônico. “O PAB Variável é repassado pelo Ministério da Saúde aos municípios, mensalmente e regularmente, para o custeio dos procedimentos realizados na Atenção Básica. Municípios que encontrarem dificuldades para a implantação da plataforma devem reportar suas necessidades à pasta, que avaliará cada caso para apoiar medidas que possibilitem a transmissão dos dados. Apenas os profissionais de saúde que atuam nos serviços de atenção básica podem utilizar o sistema de prontuário eletrônico”, explicou o Ministério.

Desafios

O Conselho de Secretarias Municipais de Saúde de Alagoas (COSEMS) estima que haja mais de 800 postos de saúde em todo estado e encara como um desafio realizar essa mudança no prazo estimado pelo Ministério da Saúde.

Por não ser um processo tão simples, o COSEMS disse, por meio da assessoria de imprensa, que vai acompanhar a mudança em Alagoas e informar aos gestores municipais de saúde a forma como proceder nessa transição. Todo esse processo será feito em contato com o Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (CONASEMS) e o próprio Ministério da Saúde.

Das 31 unidades apontadas pelo Ministério da Saúde que já possuem o prontuário eletrônico, três são em Maceió. Uma é a Unidades Docentes Assistenciais (UDAS) Paulo Oliveira Costa, no Cesmac, no Farol, outra é a Governador Divaldo Suruagy, na FAT, no Barro Duro, e outra é a Dr. José Lages Filho, na UNIT, em Cruz das Almas. Questionada sobre as adequações e prazos, a Coordenação de Atenção Básica da Secretaria Municipal de Saúde de Maceió disse, por meio de nota, que fez a capacitação das equipes destas unidades onde já foi implantado o sistema digital e que já finalizou a compra dos equipamentos necessários à implantação efetiva dos prontuários eletrônicos.

Ainda segundo a SMS, está prevista a chegada dos equipamentos para a implantação efetiva do software no início de novembro e que logo em seguida dará início à capacitação direcionada à operacionalização da plataforma pelos profissionais de saúde das demais unidades do município. 

Facebook Comments

você pode gostar

Deixe um Comentário