Home Turismo e Meio Ambiente Portaria do MMA oficializa criação da piscina natural de Japaratinga

Portaria do MMA oficializa criação da piscina natural de Japaratinga

Por Alagoas Brasil Noticias

Imagem aérea da piscina natural de Japaratinga, no Litoral Norte de Alagoas  

piscina-natural-japaratinga

Portaria do Ministério do Meio Ambiente (MMA), publicada no Diário Oficial da União desta segunda-feira (17), delimita as Zonas de Preservação da Vida Marinha (ZPVM) e de Visitação (ZV) na Área de Proteção Ambiental (APA) Costa dos Corais no município de Japaratinga, Litoral Norte de Alagoas.

A portaria número 95 foi assinada na quinta-feira (13) pelo presidente substituto do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), Marcelo Marcelino, e altera o Plano de Manejo da APA Costa dos Corais, aprovado em fevereiro de 2013.

Na prática, a portaria cria, oficialmente, a piscina natural – destinada à visitação turística – conhecida como “Picão”, no litoral de Japaratinga. A área já vinha sendo explorada economicamente por operadores que levam visitantes até o  local, por meio de embarcações, mas faltava a delimitação e homologação por parte do ICMBio, que lá promoveu estudos técnicos.

A “Piscina Natural do Picão” – como é conhecida – possui uma área aproximada de 23 hectares (ha) e perímetro de 2,1 km aproximados. Em parágrafo único, a portaria ministerial informa que os limites de embarcações e visitantes por dia, assim como regras específicas da piscina natural, serão regulamentadas em um instrumento específico que tratará do uso público desta Zona de Visitação.

Já a ZPVM de Japaratinga fica localizada entre as áreas dos Cordões e João Martins, perfazendo uma área de 234 ha e perímetro de 6,6 km aproximados.

Conforme o Plano de Manejo da APA Costa dos Corais, as ZPVM’s são áreas de proteção, onde não é permitida nenhuma atividade antrópica, exceto pesquisa autorizada. Nessa área, o ambiente permanece o mais preservado possível, representando o mais alto grau de preservação da UC.

Tem importante papel como matriz de repovoamento de diversas espécies da fauna e flora marinha estuarina. Essas zonas podem ser estabelecidas nos diversos ambientes da APA em toda a sua extensão, ao mesmo tempo em que podem substituir outras zonas que estejam em declínio e/ou com objetivos comprometidos.

Facebook Comments

você pode gostar

Deixe um Comentário