Home NotíciasPolitica Collor é denunciado 30 vezes por corrupção, 376 vezes por lavagem de dinheiro e 48 por peculato

Collor é denunciado 30 vezes por corrupção, 376 vezes por lavagem de dinheiro e 48 por peculato

Por Alagoas Brasil Noticias

Collor e Janor

collor

Esta sexta-feira, 21, é de “inferno astral” para o senador Fernando Collor de Mello (PTC). Além de ter sido atingido pela ação da Lava Jato no Congresso em busca de policiais legislativos que tentaram, segundo a Polícia Federal, atrapalhar as investigações com atos de contrainteligência, Collor ainda assistiu o cair do sigilo sobre a denúncia da Procuradoria Geral da República contra ele. 

A denúncia é de agosto do ano passado, foi aditada em março deste ano, e agora – por decisão do ministro Teori Zavascki – foi levantado o segredo dos autos. Se descobriu que Collor é acusado, pela PGR, de ter recebido pelo menos R$ 29 milhões de reais em propinas entre 2010 e 2014. Toda a grana teria sido oriunda de dois contratos da BR Distribuidora, uma subsidiária da Petrobras. 

Janto diz – na denúncia – que há uma “organização criminosa relacionada à BR Distribuidora, voltada principalmente ao desvio de recursos públicos em proveito particular, à corrupção de agentes públicos e à lavagem de dinheiro”. O procurador ressalta ainda a influência do PTB – antigo partido de Collor – sobre a empresa. 

Além de Collor, a esposa do senador Caroline Serejo Medeiros Collor de Mello também é denunciada. Junto com ela, Luís Pereira Duarte de Amorim, apontado pelos investigadores como ‘testa-de-ferro’ de Collor; o empresário Pedro Paulo de Leoni Ramos, suposto ‘operador particular’ do senador; Luciana Guimarães de Leoni Ramos, mulher de Pedro Paulo; os assessores parlamentares Cleverton Melo da Costa (falecido), Fernando Antônio da Silva Tiago e William Dias Gomes; e Eduardo Bezerra Frazão, diretor financeiro da TV Gazeta de Alagoas. Os denunciados respondem pelo crime de organização criminosa.

Collor é acusado 30 vezes do crime de corrupção, 376 vezes por lavagem de dinheiro  48 vezes por peculato. Sua esposa responderá por lavagem de dinheiro. Os demais respondem por peculato qualificado, corrupção passiva, fraude à licitação, violação de sigilo funcional e lavagem de dinheiro. 

Se a PGR conseguir a condenação de Collor, ele ainda perde a função pública. O procurador pede que haja ainda reparação de danos materiais e morais causados pelos denunciados, o que daria uma devolução no valor de R$ 154,75 milhões.

Facebook Comments

você pode gostar

Deixe um Comentário