Anadia/AL

16 de outubro de 2021

Anadia/AL, 16 de outubro de 2021

Escândalo: Governador filho de Renan bancou ato Fora Temer em São Paulo com dinheiro público

Por Alagoas Brasil Noticias

Em 16 de novembro de 2016

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on email
filho-de-renan-calheiros-tambc3a9m-c3a9-alvo-dos-procuradores-da-lava-jato

Dilma Rousseff, governador de Alagoas Renan Filho, senador Renan Calheiros.

filho-de-renan-calheiros-tambc3a9m-c3a9-alvo-dos-procuradores-da-lava-jato

Mais um escândalo envolvendo o nome do presidente do Senado Renan Calheiros. Segundo informações obtidas pelo Diário do Poder, se descobriu que o governo de Alagoas usou dinheiro público para bancar a ida de militantes de extrema-esquerda para São Paulo, onde realizaram um ato contra o impeachment de Dilma Rousseff. O governador de Alagoas é Renan Filho, filho do senador Calheiros.

Segundo a publicação, a Secretária de Esportes, Lazer e Juventude desembolsou cerca de R$ 11 mil para que servidores comissionados participassem da realização de um evento da União da Juventude Socialista (a UJS). A UJS é um dos movimentos de extrema-esquerda por trás das violentas manifestações contra o governo e de algumas invasões de universidades. O gasto está registrado no portal de transparência do governo de Alagoas.

Quem autorizou oficialmente os gastos foi a Secretária Cláudia Petuba. Filiada ao Partido Comunista do Brasil, Cláudia já foi presidente da UNE no estado de Alagoas e diretora nacional da entidade. Não é a única relação de Calheiros com o PCdoB. Seu irmão Remildo foi prefeito de Olinda pelo partido. Atualmente, Remildo tenta aproximar os comunistas do governo Michel Temer com o apoio do irmão senador.

Este episódio se soma as várias tentativas de Renan Calheiros em constranger o governo. Contrário ao impeachment de Dilma Rousseff, ele sempre articulou contra o impeachment e contra o governo de Michel Temer nos bastidores. Seu ato mais ousado até então foi o golpe que manteve os direitos políticos de Dilma Rousseff após a cassação do mandato, que foi articulado junto com senadores como Katia Abreu, Vanessa Grazziotin, Gleisi Hoffmann e Randolfe Rodrigues, além do apoio do ex-presidente do STF Ricardo Lewandowski.

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter