Anadia/AL

25 de outubro de 2021

Anadia/AL, 25 de outubro de 2021

CPI do Futebol pede indiciamento de Gustavo Feijó, Marin, Del Nero e mais seis

Por Alagoas Brasil Noticias

Em 24 de novembro de 2016

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on email
feijo

feijo

O relatório paralelo da CPI do Futebol no Senado, apresentado nessa quarta (23) em Brasília, caiu como uma bomba para a CBF. Vários de seus dirigentes, incluindo o presidente Marco Polo Del Nero, são acusados pela CPI como autores de vários crimes.

O presidente da comissão, senador Romário (PSB-RJ), vai pedir ao Ministério Público Federal o indiciamento de Del Nero e de mais três representantes do alto escalão da CBF. São eles: os vices Gustavo Feijó e Marcus Vicente, que é deputado federal, e o diretor jurídico Carlos Eugênio Lopes.

Teriam também cometidos diversos crimes, segundo o relatório lido pelo senador Randolfe Rodrigues (Rede/AP), os ex-presidentes da confederação, Ricardo Teixeira e José Maria Marin, o ex-diretor financeiro da entidade, Antonio Osório, e os empresários José Hawilla e Kleber Leite.

“Buscamos desvendar a organização criminosa que se apossou do futebol brasileiro e temos material suficiente, comprobatório, das falcatruas cometidas por dirigentes da CBF e seus comparsas. Foi um esquema criminoso montado por uma quadrilha que tomou de assalto o futebol brasileiro nas últimas décadas”, disse Randolfe Rodrigues, que subscreveu o relatório paralelo com Romário.

Pouco antes da apresentação resumida desse relatório, o senador Romero Jucá (PMDB-RR) leu um resumo do relatório oficial, no qual não havia nenhuma referência a eventuais crimes cometidos por dirigentes da CBF. Jucá, relator da CPI, compõe a chamada bancada da bola, formada por parlamentares que defendem no Congresso os interesses da CBF.

Veja abaixo as acusações que constam do relatório dos senadores Romário e Randolfe Rodrigues.

RICARDO TEIXEIRA – Ex-presidente da CBF 
Estelionato; crime contra a ordem tributária; crime contra o Sistema Financeiro Nacional; lavagem de dinheiro, organização criminosa; crime eleitoral, considerando o seu envolvimento nas infrações penais listadas nos capítulos referentes ao caso FIFA; e ao financiamento não declarado de campanhas eleitorais pela CBF (caixa 2).

JOSÉ MARIA MARIN – Ex-presidente da CBF (preso nos EUA) 
Estelionato; crime contra a ordem tributária; crime contra o Sistema Financeiro Nacional; lavagem de dinheiro; organização criminosa; falsidade ideológica, considerando o seu envolvimento nas infrações penais listadas nos capítulos referentes à compra da sede da CBF; ao caso FIFA; e ao acordo fraudulento juntado no Superior Tribunal de Justiça – STJ.

MARCO POLO DEL NERO – Presidente da CBF 
Estelionato; crime contra a ordem tributária; crime contra o Sistema Financeiro Nacional; lavagem de dinheiro; organização criminosa; crime eleitoral, considerando o seu envolvimento nas infrações penais listadas nos capítulos referentes à compra da sede da CBF; ao caso FIFA; e ao financiamento não declarado de campanhas eleitorais pela CBF (caixa 2).

GUSTAVO DANTAS FEIJÓ – Prefeito de Boca da Mata (AL) 
Crime eleitoral, considerando o seu envolvimento nos ilícitos penais listados no capítulo referente ao financiamento não declarado de campanhas eleitorais pela CBF (caixa 2).

ANTONIO OSÓRIO RIBEIRO LOPES DA COSTA – Ex-diretor financeiro 
Estelionato; crime eleitoral, considerando o seu envolvimento nas infrações penais relacionadas nos capítulos referentes à compra da sede da CBF; e ao financiamento não declarado de campanhas eleitorais pela CBF (caixa 2).

MARCUS ANTONIO VICENTE – Deputado federal (PP-ES) 
Falsidade ideológica, considerando o seu envolvimento no ilícito penal apontado no capítulo referente ao acordo fraudulento juntado no Superior Tribunal de Justiça – STJ, ressalvada prerrogativa constitucional prevista no art. 102, inciso I, alínea b, da Constituição Federal de 1988.

JOSÉ HAWILLA – Empresário (preso nos EUA) 
Estelionato; crime contra a ordem tributária; crime contra o Sistema Financeiro Nacional; lavagem de dinheiro organização criminosa, considerando o seu envolvimento nos ilícitos penais listados no capítulo referente ao caso FIFA.

KLEBER FONSECA DE SOUZA LEITE – Empresário 
Estelionato; crime contra a ordem tributária; crime contra o Sistema Financeiro Nacional; lavagem de dinheiro; organização criminosa, considerando o seu envolvimento nos ilícitos penais listados no capítulo referente ao caso FIFA.

CARLOS EUGÊNIO LOPES – Advogado da CBF 
Falsidade ideológica, considerando o seu envolvimento no ilícito penal apontado no capítulo referente ao acordo fraudulento juntado no Superior Tribunal de Justiça – STJ.

Só responderam aos contatos da reportagem o deputado Marcus Antônio Vicente e o empresário Kleber Fonseca.

O deputado refutou as acusações contidas contra ele no relatório paralelo da CPI do Futebol no Senado. Disse que elas são equivocadas e infundadas. Referia-se a uma polêmica envolvendo seu nome, então como presidente da Federação de Futebol do Espírito Santo, em que supostamente teria costurado um acordo entre a CBF e a Desportiva Ferroviária, no qual o clube capixaba desistia de uma ação judicial milionária datada de 2004.

A ação, no caso, era movida pelo clube-empresa Desportiva Capixaba, que gerenciava o futebol do clube. O acordo foi feito sem o consentimento dos demais acionistas do clube-empresa e considerado inválido pelo Tribunal de Justiça do Espírito Santo. Em 2013, porém, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) extinguiu a ação.

Kleber Fonseca, em seu blog, comentou parte do relatório paralelo da CPI do Futebol do Senado. Contestou o registro de que não prestou depoimento na comissão por ter sido barrado pelo grupo político ligado aos interesse da CBF. Disse que isso se tratava de uma “mentira deslavada”. E reforçou a posição de que está pronto “para prestar qualquer tipo de esclarecimento a quem quer que seja, a qualquer hora e em qualquer lugar”. Kleber Leite, no entanto, não fez nenhuma referência às acusações, que constam do relatório, de que teria cometido vários crimes.

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter