corretora trade para operar no rio de janeiro o que é mercado de opções binarias xp investimentos operação bolsa trader automated forex trading signals day trade quanto investir diferença entre opções binárias e opções investimento apn impera trader indicador opçoes binárias https ativa investimentos day trade 30 04 2019 meta trader conta demo xp investimentos investimento btc opções binarias opções binárias 24option depositei opçoes binarias quanto tem demora melhores traders de opçoes binarias investir bolsa longo prazo day trade swing trade imposto de renda operações de day trade 2019 opções binárias l
Home NotíciasEsportes Análise: jogo do título é reflexo de campanha irretocável do Palmeiras

Análise: jogo do título é reflexo de campanha irretocável do Palmeiras

Por Alagoas Brasil Noticias

gabriel

São 77 pontos no Campeonato Brasileiro, com 23 vitórias, oito empates e apenas seis derrotas em 37jogos. Melhor defesa, com 31 gols sofridos. Melhor ataque, com 60 marcados. Melhor média de público: mais de 32 mil pagantes por jogo. A vitória por 1 a 0 sobre a Chapecoense, neste domingo, foi mera formalidade. Mas foi, também, o resumo de uma campanha impecável do eneacampeão Palmeiras. Título merecido, sem qualquer contestação.

VEJA A TABELA DO BRASILEIRÃO

Diante do maior público da história daquele pedaço de terra no bairro da Pompeia – seja como Palestra Itália ou Arena Palmeiras – o time de Cuca fez o que costuma fazer em sua casa. Tomou conta do jogo, teve o apoio da massa alviverde e viu a bola passar o tempo todo por Moisés, provável craque do campeonato. Foram 40.986 testemunhas da história.

A semana, agora,é de uma festa justíssima. Contra o Vitória, domingo que vem, em Salvador, o Palmeiras terá a despedida de um 2016 inesquecível. E que deixa ótima base para o clube trabalhar na próxima temporada. Com Libertadores, mas sem Cuca.

O técnico, afinal, vai se despedir do comando do Palmeiras no domingo. Esta será a primeira decisão do novo presidente Maurício Galiotte: escolher alguém que mantenha o padrão tático e o bom aproveitamento do atual elenco. Com reforços, claro.
 
 

Um dia para celebrar

Esqueça aquele clima tenso que tomou conta dos alviverdes nas últimas rodadas. Depois da vitória sobre o Botafogo, semana passada, o título era certo. Por isso, faixas de campeão, máscaras de porco e uma atmosfera bem mais amena receberam o Palmeiras. 

(Nota triste, mais uma vez: a proibição do torcedor sem ingressos fazer sua festa na Rua Palestra Itália antes do jogo. Neste domingo, inclusive, houve relatos de abusos da Polícia Militar ao retirar palmeirenses do local e fechar estabelecimentos próximos)

Dentro de campo, Cuca optou por uma formação com Fabiano na lateral direita, além de Jean, TchêTchê e Moisés no meio. Róger Guedes continuou no ataque – Erik estava cotado para a vaga. Na zaga, Edu Dracena substituiu o lesionado Mina. 

O Palmeiras do título: Fabiano na direita, e meio-campo com três versáteis. Moisés é o craque do Campeonato Brasileiro

A impressão que se tem, porém, é de que o técnico poderia escalar qualquer outra peça nesse time. Algumas delas, porém, têm de ser ressaltadas pela grande partida contra a Chape – coincidência ou não, alguns dos melhores nomes do campeonato.

A começar pelo gol. Jailson, o invicto, não foi vazado mais uma vez. Não perdeu um jogo sequer dos 18 que defendeu o Palmeiras no Brasileirão. E, sempre que exigido diante de uma perigosa Chapecoense, fez boas defesas. No fim, em atitude de grandeza, deu lugar a Fernando Prass e avisou: “Esse lugar é seu”.

No jogo do título, coincidência ou não, Cuca escalou os três meio-campistas mais versáteis e com a cara desse Palmeiras. Jean, lateral na maior parte da campanha, fez a proteção pelo lado direito e se arriscou menos. Tchê Tchê, revelação de 2016, foi novamente um incansável. Não à toa, só ficou fora de um jogo no Brasileiro. EMoisés, que merece um parágrafo à parte.

Deixar Gabriel Jesus e Dudu na cara do gol virou rotina. Neste domingo, mais uma vez, Moisés buscou a bola no campo de defesa, distribuiu o jogo, sempre se posicionou para dar opções aos companheiros, arriscou chutes a gol e improvisou. Um jogador completo, que o Palmeiras resgatou na Croácia e terá como um de seus alicerces na Taça Libertadores.

Aos 25 minutos do primeiro tempo, Moisés foi um dos cinco jogadores que participaram do gol que decidiu a partida. Jogada ensaiada, coletiva, eficiente, do jeito que nos acostumamos a ver no Brasileirão.Dudu rolou para Zé Roberto, que rolou para Jesus, que deixou para Moisés, que encontrou… Fabiano, o mais improvável herói entre os 11 titulares. Golaço por cobertura. 1 a 0, festa na arena lotada. Do jeito que o palmeirense queria.

Faltou falar do ataque, claro. Do capitão Dudu, que se transformou quando recebeu a faixade Cuca. Amadureceu quatro, cinco anos em apenas um. E Gabriel Jesus, o cracaço que vai deixar o clube do coração da melhor maneira possível. Em Manchester e na seleção brasileira, ele vai continuar evoluindo. A maior dificuldade do Palmeiras em 2017 será encontrar um substituto – nem à altura, mas um que se aproxime do que o camisa 33 faz pelo time.

 Depois do gol, veio a notícia da vitória parcial do Flamengo sobre o Santos, por 2 a 0. Aí, sim, o torcedor extravasou de verdade. O palmeirense, que às vezes até parece sofrer mais do que o normal, conseguiu relaxar, aproveitar cada instante e gritar “É campeão”. Sobraram, claro, provocações ao “cheirinho” do Flamengo e à perseguição frustrada do Santos. Dois times que ameaçaram, mas não mostraram regularidade suficiente para incomodar o time mais regular do ano.

A arena do Palmeiras, em dois anos de existência, tem agora dois títulos. Uma Copa do Brasil, um Brasileiro. Sonhar com a Libertadores em 2017 não é nenhum exagero.

 

Facebook Comments

você pode gostar

Deixe um Comentário