opçoes binarias sem enganação estrategia do curso de opçoes binaras do weldes campos formulario para solicitar irr em operações em day trader operações com day trade no imposto de renda quanto ganho com opcoes binarias meta trader opçoes binarias custo operar mercado futuro swing trade qual o melhor robo para opções binarias programa que prevê variação de opções binárias quando devo operar na olymp trade analise técnica opções binárias trader sumiu com investimento dá pra lidar com opções binárias morando no brasil opções binárias corretoras para iniciantes gerenciamento de risco para opções binárias download quais as moedas menos volatil nas opçoes binarias o que trader por opçoes binarias
Home Municípios Prefeito eleito quer MPE investigando desfalque de R$ 2 milhões na Previdência

Prefeito eleito quer MPE investigando desfalque de R$ 2 milhões na Previdência

Por Alagoas Brasil Noticias

Júlio César (PSB) afirma acreditar que reparcelamento aprovado pela Câmara de Palmeira dos Índios vai prejudicar finanças do município – 22h03

327085e2-21ba-49c2-a2fa-d1ba7aa8a7fb

O prefeito eleito da cidade de Palmeira dos Índios, Júlio César (PSB), quer que o Ministério Público apure a ausência de repasses, na ordem de R$ 2 milhões, do Poder Executivo para a Previdência do município. Em virtude do não pagamento, a Câmara aprovou, durante polêmica sessão na semana passada, o reparcelamento de parte do valor, além do parcelamento de outra fatia do montante que também deixou de ser paga.

Segundo o prefeito, atualmente, cerca de 20% dos recursos do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) são utilizados, mensalmente, para o pagamento de dívidas relacionadas à Previdência do município. Ele reforça que, com a aprovação da matéria por parte dos vereadores, este percentual deve subir, o que pode comprometer sua administração, com início em janeiro de 2017. 

“Por que este valor não foi pago antes? Em que o dinheiro foi aplicado? Por que somente agora a Câmara de Vereadores resolveu debater o problema? São perguntas que o Ministério Público deve fazer ao prefeito de Palmeira dos Índios. Não se pode brincar ou ser irresponsável com a vida de inúmeras pessoas.”, colocou Júlio. 

Na visão do prefeito eleito, o que os vereadores estariam a fazer – repassando a discussão em torno do débito para a gestão vindoura – “pode até ser legal do ponto de vista regimental”. Porém, para o prefeito eleito, “moralmente não o é”. 

Ele lembra, inclusive, que, durante a votação, a bancada de oposição ao atual prefeito, James Ribeiro (PMDB), chegou a deixar o plenário com o objetivo de inviabilizar a sessão, que, no entanto, acabou realizada.

“É muito fácil não cumprir com as obrigações legais de um gestor e passar o débito para o outro. Portanto, é importante que o Ministério Público busque as respostas necessárias”, emendou Júlio César, acrescentando que, segundo a oposição no município, o valor pago mensalmente – em virtude dos débitos em atraso – é de R$ 200 mil. “E o montante deve subir de forma considerável”, salientou. 

Por meio da assessoria de imprensa, o prefeito esclareceu que o débito com a previdência foi gerado em razão das diversas quedas nas receitas, sabido por todos que acontecem há um bom tempo. Segundo o tucano, o parcelamento é um instrumento legal e até responsável, para o bem do município. 

“Lembro ainda que as parcelas mensais são de baixo valor, R$ 20 mil, e não causam preocupações futuras. Trabalhamos muito com nossa equipe. Sabe qual o resultado? A arrecadação de R$ 80 milhões para 2017, referente aos precatórios do Fundef. Certamente com esse dinheiro a próxima gestão conseguirá pagar todas as parcelas da previdência”, disse Ribeiro. 

Facebook Comments

você pode gostar

Deixe um Comentário