Home Municípios Afastado e cassado, ex-prefeito elege sobrinho como sucessor

Afastado e cassado, ex-prefeito elege sobrinho como sucessor

Por Alagoas Brasil Noticias

Wilmário Valença Silva Júnior, conhecido na cidade como o Wil Valença (PSD), derrotou o atual prefeito-tampão, Antônio Teixeira (PMN)

wil

O imbróglio político no município de Tanque d’Arca se arrastava desde 2013 quando o então prefeito Roney Tadeu Valença Silva, o Roney Valença (PMDB), foi afastado – à época pela Justiça Eleitoral – após investigação por captação ilícita de sufrágio, também conhecida como compra de voto.  

De lá para cá, no entra e sai de prefeitos (foram quatro), a população deu um basta no último dia 02 de outubro. 

Porém, quem saiu ganhando na eleição deste ano – mesmo fora do cargo e sem a caneta do Executivo nas mãos – foi o próprio Roney. 

O prefeito afastado e cassado deu uma resposta à Justiça e aos inimigos políticos por eleger o sobrinho, Wilmário Valença Silva Júnior, conhecido na cidade como o Wil Valença (PSD), no pleito deste ano. 

Wil e Roney derrotaram de uma só vez o prefeito atual e ex-tampão, Antônio Teixeira (PMN), e os ex-prefeitos, José Rubem Fonseca de Lima e  Manuel Valente (ambos do PP), respectivamente, pai e filho. 

Com exatos 1.300 votos (32.23% válidos), Wil Valença tirou do páreo o maior adversário político de seu tio, o prefeito-vereador Antônio Teixeira, que obteve a segunda colocação com 1.255 votos (31.12% válidos). 

A diferença de votos entre Valença e Teixeira foi de apenas 45 eleitores. Já os ex-prefeitos Zé Rubem e Manuel Valente – juntos – obtiveram 988 votos (24.50 válidos).

Contudo, vale salientar que Roney Valença foi o maior vitorioso nas urnas de 2016. 

O gestor vinha relutando pelo cargo desde de 2013, quando  o juiz eleitoral da 4ª Zona Eleitoral, Helestron Silva da Costa, julgou procedente a Ação de Investigação Judicial Eleitoral (AIJE), proposta pelo Ministério Público Estadual (MPE-AL), e cassou o mandato eletivo do prefeito e do vice-prefeito, Valdemir Bezerra Lima, pela prática de captação ilícita de sufrágio. 

O calvário político de Valença teve continuidade nos anos seguintes, em 2014, 2015 e até 2016, onde – por diversas vezes – tentou retornar ao cargo de prefeito de Tanque d’Arca sem sucesso.  

Para resumir: em janeiro deste ano, Roney Valença e seu vice, Valdemir Bezerra, tiveram os mandatos cassados na Câmara de Vereadores. 

Após cinco meses, em junho, os parlamentares elegeram Antônio Teixeira (PMN) prefeito de Tanque d’Arca. 

Porém, em outubro, 1.300 eleitores decidiram que Wil Valença comande o município pelos próximos quatro anos com o apoio do tio Roney que, por incrível que pareça, superou nas urnas quem tirou seu mandato e deu uma resposta para os principais adversários políticos. 

Já Antônio Teixeira, o prefeito-tampão e do Fantástico (lembre-se sempre), conclui o mandato em 31 de dezembro. 

Como sugestão, caso algum leitor (a) queira saber mais sobre essa trajetória política em Tanque D’Arca, basta colocar no google que aparece várias matérias relacionadas ao entra e sai de prefeitos. 

 

Facebook Comments

você pode gostar

Deixe um Comentário