Anadia/AL

27 de novembro de 2021

Anadia/AL, 27 de novembro de 2021

Advogados protestam, na orla de Pajuçara, contra a reforma da Previdência

Por Alagoas Brasil Noticias

Em 18 de dezembro de 2016

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on email
whatsapp_image_2016-12-18_at_11-50-08

Ato aconteceu em outros 23 municípios, com apoio de juristas e da sociedade civil, e pretende discutir pontos da proposta

whatsapp_image_2016-12-18_at_11-50-08

Assim como em outras cidades do Brasil, advogados se reuniram em Maceió neste domingo (18) para protestar contra a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 287, que reforma a Previdência Social. O grupo se concentrou na orla da Pajuçara com cartazes e faixas em alerta à população.

O ato aconteceu em outros 23 municípios, com apoio de juristas e da sociedade civil. De acordo com a advogada Valeska Machado o objetivo é conscientizar a sociedade quanto às mudanças impostas e tentar barrar a proposta do presidente Michel Temer (PMDB).

“Queremos começar a divulgar o que de fato vai acontecer caso a PEC seja aprovada. As pessoas acham que ela só atingirá a alguns, mas vai atingir a todos, sem exceções, sejam homens, mulheres, trabalhadores rurais, servidores. Ainda queremos retomar depois das festas de fim de ano. Essa ação agora foi a raiz do movimento”.

Nomeado de “Movimento pela verdade na Previdência”, o ato, segundo Valeska, é aberto para quem quiser participar, e não apenas para advogados, além de não ser vinculado a nenhuma entidade ou órgão. Ela acrescenta que a ideia é apenas unir as pessoas para discutir pontos considerados injustos. 

“São 17 pontos. Para receber 100% do seu salário, teria que contribuir uma média de 49 anos. Querem acabar com a aposentadoria especial também, então são dez anos a mais de trabalho para algumas categorias. As mulheres, que já têm jornada tripla, vão se igualar ao homem na aposentadoria e trabalhadores rurais terão que contribuir e só se aposentar com 65 anos. Isso é fora da nossa realidade”, aponta.

Caso aprovada a reforma, a idade mínima para a aposentadoria será de 65 anos para homens e mulheres. A medida também servirá para os setores públicos e privados, deixando excluída apenas a categoria dos militares. De acordo com Valeska Machado, juristas de todo o País rejeitam o projeto. 

“Eles estão usando como argumento o rombo da previdência e dizendo que não há outra solução a não ser impor mais sofrimento à população, mas mais de cem juristas estão provando que isso é mentira. Enquanto a fundamentação da PEC usa apenas quatro juristas”.

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter