forex trading brokers in canada www.opçoes binarias trade marketing assistente de operações melhores operadoras opçoes binarias best forex trading platform in india opções binárias estrategi estrategia do curso de opçoes binaras do weldes campos porque não posso operar pelo rico trade no celular servidor mais rapido pra opçoes binarias operations scalp trade quai os melhores sites pra investir trader curso opçoes binarias welder campos grupo de whatsapp opções binárias rsi 8 programas para analise de opçoes binarias opções binárias oq e em que mercado está opçoes binarias como declarar rendimentos de opções binárias no imposto de renda
Home Brasil Tribunal de Justiça nega indenização de R$ 800 mil para família de Eloá

Tribunal de Justiça nega indenização de R$ 800 mil para família de Eloá

Por Alagoas Brasil Noticias

 

ju

O Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) negou neste mês indenização de R$ 800 mil que a família da alagoana Eloá Cristina Pimentel da Silva cobrava do Estado. O G1 apurou que pedido com o valor havia sido feito pelo advogado Ademar Gomes, que defende os interesses dos parentes da adolescente de 15 anos, morta a tiros pelo ex-namorado em 2008, em Santo André, no ABC.

Os familiares queriam que o estado de São Paulo os indenizasse já que Lindemberg Alves matou a ex-namorada após a invasão da Polícia Militar (PM) ao apartamento onde ela era mantida refém com uma amiga. O ex-namorado não aceitava o fim do relacionamento.

Para o advogado, o Estado teve responsabilidade na ação policial que resultou na morte de Eloá. Mas esse não foi o entendimento da 11ª Câmara de Direito Público.

Procurado nesta terça-feira (20) pela reportagem, Ademar Gomes disse que irá recorrer da decisão ao Superior Tribunal de Justiça (STJ).

“Entrei com processo de dano moral e material contra a Fazenda Pública por entender que além de Lindemberg, o estado causou a morte de Eloá”, falou o advogado.

“A PM negligenciou de seu trabalho e cometeu muitas falhas”, disse Gomes, que não quis comentar o valor da indenização.

O G1 não conseguiu localizar representantes da Fazenda Pública para comentar a decisão judicial.

O crime

Em 2012, Lindemberg foi julgado por um júri popular e acabou condenado a 98 anos e 10 meses de reclusão pelo assassinato da ex-namorada, e pelos outros 11 crimes cometidos em 2008.  O sequestro foi acompanhado ao vivo pela imprensa e emissoras de televisão.

Mas em 2013 o TJ reduziu sua pena para 39 anos e 3 meses de prisão em regime fechado. Vale lembrar que pela lei brasileira, um preso condenado pode ficar no máximo 30 anos preso.

Facebook Comments

você pode gostar

Deixe um Comentário