Anadia/AL

16 de outubro de 2021

Anadia/AL, 16 de outubro de 2021

Mobilizados, profissionais da Perícia Oficial tentam sensibilizar Governo

Por Alagoas Brasil Noticias

Em 25 de dezembro de 2016

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on email
perito

Assembleia discutiu necessidades da categoria   (Crédito: Assessoria)

Membros da Perícia Oficial de Alagoas estiveram reunidos na última quarta-feira (21), na sede do Sindicato dos Médicos (Sinmed), no bairro do Trapiche da Barra, para discutir as dificuldades da categoria e formar sugestões que serão futuramente apresentadas aos representantes do governo estadual, na tentativa de tentar sensibilizar as autoridades. Participaram da reunião peritos criminais, médicos-legistas, peritos odontolegistas, que são membros do Sindicato dos Peritos Oficiais de Alagoas (Sinpoal).

Com o aumento de solicitações relacionadas a exames de DNA, o órgão ratificou que o número de profissionais que atua na Perícia atualmente ainda é insuficiente. Essa carência de profissionais do ramo para coletar e examinar esses indícios nas cenas de crimes pode ser atenuada com a contratação da reserva técnica. São químicos e biólogos, entre outros especialistas, que irão otimizar em qualidade e quantidade a liberação de laudos e exames.

Outro ponto discutido foi a insegurança dos peritos novatos que, por não terem o adicional de insalubridade, temem prejudicar suas condições de saúde durante a jornada de trabalho. “Muitas vezes chegamos a um determinado local e percebemos certo risco, seja referente ao crime em si, seja ao ambiente hostil onde ele aconteceu”, comentou um dos especialistas que participava da assembleia. ”Mesmo com medo, fazemos nosso trabalho da melhor forma possível”, acrescentou a perita.

Para o presidente do Sinpoal, Paulo Rogério Ferreira, o mais importante para a categoria é chegar a um acordo com os representantes do Executivo e promover uma melhoria contínua nos processos executados pelos profissionais de diversas áreas que atuam na Perícia.

“Temos especialistas em diversas áreas que precisam de valorização. E isso não diz respeito apenas à reposição da inflação aos salários, mas também está diretamente ligado às condições de trabalho e à carência de efetivo suficiente para promover a evolução de uma perícia cada vez mais especializada”, explicou Paulo Rogério.

A categoria cogita a possibilidade de paralisar as atividades nos próximos dias caso não consiga entrar em acordo com o Governo de Alagoas.

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter