meta trader 5 como operar xp investimento simulador trade trade operando com 500 contratos forex trading strategies for beginners day trader opera com 200 robos dowload forex trading secrets free forex trading using fibonacci and elliott wave todd gordon pdf opções binárias para iniciantes 2016 modalidade de investir na bolsa day trade forex trading books best sellers trade platforma como usar facil para operar dupla binaria financeiro investimento deduções cálculo do ir operações day trade fibonacci levels opções binárias corretoras de opçoes binarias quue aceitam bitcoi curso de opções binarias gratis diversify forex trading
Home NotíciasPolitica PF realiza operação em gráficas que atuaram na campanha Dilma-Temer

PF realiza operação em gráficas que atuaram na campanha Dilma-Temer

Por Alagoas Brasil Noticias

Resultado de imagem para PF realiza operação em gráficas que atuaram na campanha Dilma-Temer

A Polícia Federal realiza na manhã desta terça-feira, 27, uma operação para verificar a capacidade de empresas subcontratas por gráficas que receberam valores da chapa Dilma Rousseff (PT) e Michel Temer (PMDB). A ação foi autorizada pelo ministro Herman Benjamin, relator do processo no Tribunal Superior Eleitoral que pode levar à cassação da chapa vitoriosa de Dilma e Temer. Estão na mira empresas que foram subcontratadas pela gráficas Red Seg Gráfica, Focal e Gráfica VTPB. Não há mandados de prisão.

O jornal O Estado de S. Paulo revelou na semana passada que a força-tarefa da Polícia Federal, Receita e Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras), criada por determinação do TSE para analisar as contas da campanha da chama Dilma Rousseff (PT) e Michel Temer (PMDB), encaminhou um laudo ao ministro Herman Benjamin.

Nas 80 páginas do documento, os peritos apontam indícios de “desvio de finalidade” dos recursos da chapa. O próprio Ministério Público Eleitoral também analisou o relatório e apontou a existência de indícios de “fortes traços de fraude e desvio de recursos” da campanha. Diante do documento, o ministro Herman Benjamin deu no dia 16 o prazo de cinco dias para as partes envolvidas na ação de manifestarem.

Uma das gráficas que prestaram serviços à chapa, a Focal, recebeu cerca de R$ 24 milhões de reais e já foi alvo da Lava Jato. Segundo maior fornecedora da campanha petista em 2014, a empresa pertence a Carlos Roberto Cortegoso. O empresário é investigado pela Polícia Federal e Ministério Público Federal na Custo Brasil e é réu por suposta ocultação de propinas.

Segundo um laudo pericial contábil do TSE, a empresa teria recebido R$ 3,2 milhões de forma irregular da campanha presidencial de 2014 e pode ter sido usada para desvios de recursos eleitorais.

Facebook Comments

você pode gostar

Deixe um Comentário