what is the best way to learn forex trading opções binárias simples e rápidas brokers de opções binárias fora da europa trading forex proteger crise quanto dinheiro eu preciso pra investir em day trade melhor indicador opçoes binarias gratis plataformas de investimentos que fazem trade forex trading logo mercado como apliciar forex trading forex trading account jamaica imposte de renda sobre day trade e operações comuns como funciona opções binárias como operar meta trader todo dia operando day trade st como negociar com opcoes binarias reclamacoes do investimento no a2 trader operar day trade com grafico
Home Alagoas Físico alagoano se notabiliza ao publicar artigo e se contrapor a Albert Einstein

Físico alagoano se notabiliza ao publicar artigo e se contrapor a Albert Einstein

Por Alagoas Brasil Noticias

O professor e físico alagoano Askery Canabarro foi destaque recente ao emplacar artigo científico em uma das revistas internacionais mais prestigiadas do mundo, ao se contrapor a uma das teorias de ninguém menos que o pai da física moderna: Alberto Einstein.   

O artigo, publicado no dia 3 de janeiro deste ano no site da revista “Nature Scientific Reports”, do grupo editorial Nature, contou com o fomento da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Alagoas (Fapeal) para o custeio da publicação. 

Com o tema “Como uma única partícula modifica simultaneamente a realidade física de outras duas distantes”, Canabarro menciona que um estado quântico pode depender de um estado quântico distante, o que, neste ensejo, difere as conclusões de físicos como Einstein, que não concordava com as não localidades. Este erro ficou conhecido, inclusive, como o erro genial de Einstein. 

Em resumo, o que foi inaceitável para um dos maiores gênios do século XX, agora desponta como um dos principais caminhos a serem explorados na física pelo pesquisador alagoano que compõe o quadro do Núcleo de Ciências Exatas (NCEx) do Campus de Arapiraca, da Universidade Federal de Alagoas (Ufal).  Canabarro explica que o tema do artigo surgiu no contexto de seu pós-doutorado, cursado na Universidade de Boston.

O trabalho em questão foi produzido em colaboração com dois professores Sérgio Azevedo da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) e Bertúlio de Lima, da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG). 

O artigo 

O trabalho, inserido na mecânica quântica, utilizou um protocolo para apresentar uma forma de observar um fenômeno conhecido na Física Quântica como “não localidade”.  Em termos gerais, o fenômeno descreve o fato de que duas partículas completamente separadas no espaço podem ter a mesma reação a um estímulo aplicado somente a uma delas em termos mensuráveis. Daí, o título “Como uma única partícula modifica simultaneamente a realidade física de outras duas distantes”. 

Físico atinge alto indicador de qualidade acadêmica 

Enquanto as análises do estudo eram produzidas, a equipe explorava a possibilidade de enviar o trabalho para um periódico  mais conceituado possível no ramo.

O professor Canabarro até então era apoiado pelo Programa Primeiros Projetos (PPP), operacionalizado na Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Alagoas (Fapeal).

 “O PPP é importantíssimo para quem está começando na pesquisa. Este artigo foi financiado exclusivamente pela Fapeal. A revista é aberta, mas existia um custo de publicação que foi subsidiado apenas pela instituição, através do PPP”, destaca Canabarro. 

O Núcleo de Ciências Exatas possui três anos de pesquisa e este não é seu primeiro destaque. Outros seis artigos foram publicados pelo professor durante o processo de pesquisa do PPP e todos em âmbito Qualis A, o mais alto indicador de qualidade acadêmica, de acordo com a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), agência do Ministério da Educação.

A instituição é a responsável por avaliar o nível dos estudos propostos pelos grupos de pesquisa e pós-graduações no Brasil, e pontua seus indicadores de qualidade.

O físico argumentou ainda sobre os apoios que têm recebido para fornecer celeridade aos estudos:

“Com este impulso nos projetos locais, nós não temos que concorrer em editais nacionais e disputar com todo o país por recursos para a pesquisa. Estas iniciativas dão um impulso para as nossas ações”, alega o estudioso.

Facebook Comments

você pode gostar

Deixe um Comentário