como investir na bolsa day trade no clear invest trade sao jose dos pinhais mercado de opções binárias horario how to back test forex trading strategy 6 best forex trading systems in the world imposto de renda cobrado para operações day trade forex trading without leverage plataformas para operar com trader baixar curso de opções binárias ronal cutrim horário de operação trader forex convenção de opçoes binarias opções binarias mt5 melhores opçoes de fundo de investimento imobiliário australia forex futures trading corretoras de opçoes binarias regulamentadas inglaterra xm forex trading australia easy invest é bom para day trade
Home Brasil CONSTRUÇÃO DEMITIU MAIS DE UM MILHÃO DE TRABALHADORES DESDE 2014

CONSTRUÇÃO DEMITIU MAIS DE UM MILHÃO DE TRABALHADORES DESDE 2014

Por Alagoas Brasil Noticias

O SETOR FECHOU 2016 COM 414 MIL VAGAS, UMA QUEDA DE 14,33% <> ABN <> 10/02/2017 <> ÁS 18:14 <> POR DIÁRIO DO PODER 

A construção civil demitiu 1,08 milhão de trabalhadores no país desde outubro de 2014, quando iniciou o declínio do número de empregados. Os dados foram divulgados pelo Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (SindusCon-SP), em parceria com a Fundação Getulio Vargas (FGV).

Segundo o estudo, há 27 meses havia 3,57 milhões de trabalhadores na construção. Em dezembro no ano passado, o total caiu para 2,489 milhões, a 27ª queda consecutiva. O setor fechou 2016 com 414 mil vagas, uma queda de 14,33% em relação a dezembro de 2015. Em relação a novembro, houve queda de 3,63%.

Entre os estados, os que mais demitiram no ano passado foram São Paulo (-97.696), Rio de Janeiro (-77.726), Minas Gerais (-37.694), Bahia (-23.772) e Pará (-21.374). Em 2016, os segmentos que mais apresentaram queda foram imobiliário (17,14%), infraestrutura (-13,96%) e preparação de terreno (13,68%).

Números em queda

No estado de São Paulo, houve queda de 2,70% no emprego em dezembro na comparação com novembro (redução de 18,7 mil vagas). O número de trabalhadores foi de 694,6 mil em novembro, ante 675,9 mil em dezembro. Em 12 meses, são menos 91.899 trabalhadores no setor.

Para o presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo, José Romeu Ferraz Neto, a tendência é de mais cortes de emprego para os próximos meses. Ele defende que o governo adote “medidas emergenciais para estimular a construção civil”.

Facebook Comments

você pode gostar

Deixe um Comentário