Home » CSA e CRB ficam empatados em 1 a 1 no primeiro clássico da história sem torcida

CSA e CRB ficam empatados em 1 a 1 no primeiro clássico da história sem torcida

Por Alagoas Brasil Noticias

O primeiro clássico do ano entre CSA e CRB, pelo Campeonato Alagoano, acabou empatado  em 1 a 1, na tarde deste domingo (19), no Estádio Rei Pelé. Os gols da partida foram marcados pelo zagueiro do CRB, Flávio Boaventura, aos 44 do primeiro tempo e na segunda etapa, o meia Cleyton igualou o placar, aos 11 minutos da etapa final. A partida foi válida pela 6ª rodada da competição.

Com o resultado, o Galo segue isolado na liderança do grupo A, já o CSA perdeu a liderança da Chave B, mas apesar disso, o Azulão segue invicto na competição. Agora, a equipe marauja retorna aos gramados, pelo Estadual, no próximo sábado (25), para encarar o Sete de Setembro, às 16h, ainda sem local definido.

Por outro lado, o CRB retorna aos gramados pela competição nesta quarta-feira (22),  onde vai encarar o Miguelense, no Estádio Coaracy da Mata Fonseca, às 20h30. 

 

Clássico sem torcida: CSA 1×1 CRB

Confira os melhores momentos do jogão no Rei Pelé, pela 6ª rodada do Alagoano 2017

O jogo

Imagem de Amostra do You Tube

Os dois líderes da competição entraram em campo com o Estádio Rei Pelé em completo silêncio, para o primeiro clássico das multidões da história sem torcida. A situação inédita no clássico das multidões causou estranheza para todos que acompanharam o confronto.

Partida acabou empatada em 1 a 1, na tarde deste domingo (19)

FOTO: AILTON CRUZ/ GAZETA DE ALAGOAS

Os dois times vieram modificados para esta partida. Pelo lado do CSA, o técnico Oliveira Canindé fez várias alterações, no time considerado titular, como a entrada do volante Marcos Antônio sendo usado no ataque e a entrada como titular do volante Dawhuan. Ainda havia a esperança de o atacante Luis Soares aparecer no time principal, mas o atleta nem relacionado foi para o jogo.

Pelo CRB, o técnico Léo Condé teve duas baixas ao longo da semana que antecedeu o clássico. Machucados, o lateral direito Marcos Martins e o volante Yuri não puderam ser relacionados para a partida. Além do meia Danilo, que foi vetado pouco antes do jogo.  

No início da partida, o CRB iniciou um pouco melhor, tomando as iniciativas da partida e com uma marcação em cima do CSA, sem deixar a equipe sair para o jogo.  E logo aos 6 minutos do primeiro tempo, o lateral regatiano, Edson Ratinho, cobrou uma falta da entrada área assustando o goleiro Jeferson.

Partida foi válida pela 6ª rodada do Campeonato Alagoano

FOTO: AILTON CRUZ/ GAZETA DE ALAGOAS

Depois dos 10 primeiros minutos, a equipe azulina conseguiu se encontrar na partida e começou a chegar ao gol da equipe alvirrubra. E aos 16 minutos, o atacante Jacó fez um belo drible no zagueiro Boaventura, aparecendo sozinho na área para chutar forte e obrigar o goleiro Juliano a fazer uma boa defesa.

Depois disso, o jogo ficou bastante equilibrado e movimentado. Diferente da última partida entre as duas equipes, pela Copa do Nordeste, onde o CRB venceu por 2 a 1 e foi bastante superior, principalmente pelo lado direito do campo com o atacante Mailson, que não teve a mesma liberdade hoje, sendo bem marcado pelo lateral Celsinho.

Mas, depois de uma boa crescente do Galo, em um escanteio aos 44 minutos da etapa inicial, a dupla de zaga regatiana apareceu para abrir o placar. Diego cruzou na área e Gabriel subiu para coloca a bola na trave. No rebote, Boaventura só teve o trabalho de escorar a redonda e balançar as redes. 

Na volta do intervalo, Canindé colocou o meia Daniel Costa no lugar do volante Dawhuan, mostrando que o time iria para cima para buscar o gol. O jogador entrou, mas ainda sem muito ritmo de jogo, foi discreto durante a etapa final. 

Mas logo aos 10 minutos, o CSA mostrou que viria para buscar o resultado e depois de Thiago Potiguar alçar a bola na área, o goleiro regatiano Juliano se atrapalhou e a bola sobrou para Cleyton, com um carrinho empurrar para dentro e empatar o clássico. 

Goleiro Juliano, do CRB, sai no soco para afastar a bola da área

FOTO: AILTON CRUZ/ GAZETA DE ALAGOAS

Depois disso, Canindé sacou o autor do passe para o gol azulino, Thiago Potiguar, para a entrada de Didira, com o objetivo de dominar mais o meio campo.  A partida seguiu bastante acirrada, com o CSA um pouco melhor.

O CRB, buscava sair nos contra ataques, geralmente com bolas cruzadas na área. O atacante Neto Baiano que o diga, que perdeu muitas oportunidades. Uma das mais claras, aos 18 minutos, onde o camisa 9 recebe sozinho na área, mas não sobe aproveitar a chance e mandou a bola por cima do gol.

Algo que deu para ser constatado nesta partida foi à fragilidade na defesa azulina nas bolas pelo alto. Quase sempre um jogador da equipe Alvirrubra conseguia subir sozinho para cabecear.  

Aos 24, o CSA realizou sua última substituição e colocou Alex Henrique no lugar de Cleyton para tentar dar um novo gás ao ataque marujo.

Pelo lado regatiano, Léo Condé só realizou a primeira alteração na partida aos 27 minutos, quando tirou o meia Chico, que bastante discreto, para a entrada do meia Clebinho.  Depois disso, o jogo continuo bastante movimentado e com chances para ambos os lados.

Depois de uma longa paralisação, para o atendimento do goleiro Jeferson que se machucou em um choque com o atacante Neto Baiano. Condé fez mais uma substituição na equipe, com a entrada de João Paulo Penha para a saída de Sérgio Mota, que não repetiu a atuação do último clássico.

E aos 40 minutos, o comandante regatiano fez a sua última alteração, colocando Elias no lugar de Neto Baiano. Depois disso, pouco coisa aconteceu e os times pareciam que estavam satisfeitos com o resultado. Depois de 4 minutos de acréscimos, o árbitro acabou a partida. Deixando tudo igual no clássico das multidões, sem nenhum torcedor no estádio. 

Facebook Comments

você pode gostar

Deixe um Comentário