quais bolsas posso operar 24 hrs no day trade have you earned on forex trading before o que é uma corretora de opções binárias? como operar sqing trade na clear opcoes binarias indicadores investir na fox trader é pirâmide quais os melhores trading de forex no brasil configurar bandas de bollinger para opções binárias swing trade papeletes operações em ações quando opçoes binarias ficam com 95 licro ruann trader como investir com robos seja um trader opere com o dinheiro de terceiros forex trading with 3 moving averages e trade financial investing trading & retirement velas opcoes binarias livros.sobre opções binárias day trader estratégia de investimento em ações
Home NotíciasEsportes CSA e CRB ficam empatados em 1 a 1 no primeiro clássico da história sem torcida

CSA e CRB ficam empatados em 1 a 1 no primeiro clássico da história sem torcida

Por Alagoas Brasil Noticias

O primeiro clássico do ano entre CSA e CRB, pelo Campeonato Alagoano, acabou empatado  em 1 a 1, na tarde deste domingo (19), no Estádio Rei Pelé. Os gols da partida foram marcados pelo zagueiro do CRB, Flávio Boaventura, aos 44 do primeiro tempo e na segunda etapa, o meia Cleyton igualou o placar, aos 11 minutos da etapa final. A partida foi válida pela 6ª rodada da competição.

Com o resultado, o Galo segue isolado na liderança do grupo A, já o CSA perdeu a liderança da Chave B, mas apesar disso, o Azulão segue invicto na competição. Agora, a equipe marauja retorna aos gramados, pelo Estadual, no próximo sábado (25), para encarar o Sete de Setembro, às 16h, ainda sem local definido.

Por outro lado, o CRB retorna aos gramados pela competição nesta quarta-feira (22),  onde vai encarar o Miguelense, no Estádio Coaracy da Mata Fonseca, às 20h30. 

 

Clássico sem torcida: CSA 1×1 CRB

Confira os melhores momentos do jogão no Rei Pelé, pela 6ª rodada do Alagoano 2017

O jogo

Imagem de Amostra do You Tube

Os dois líderes da competição entraram em campo com o Estádio Rei Pelé em completo silêncio, para o primeiro clássico das multidões da história sem torcida. A situação inédita no clássico das multidões causou estranheza para todos que acompanharam o confronto.

Partida acabou empatada em 1 a 1, na tarde deste domingo (19)

FOTO: AILTON CRUZ/ GAZETA DE ALAGOAS

Os dois times vieram modificados para esta partida. Pelo lado do CSA, o técnico Oliveira Canindé fez várias alterações, no time considerado titular, como a entrada do volante Marcos Antônio sendo usado no ataque e a entrada como titular do volante Dawhuan. Ainda havia a esperança de o atacante Luis Soares aparecer no time principal, mas o atleta nem relacionado foi para o jogo.

Pelo CRB, o técnico Léo Condé teve duas baixas ao longo da semana que antecedeu o clássico. Machucados, o lateral direito Marcos Martins e o volante Yuri não puderam ser relacionados para a partida. Além do meia Danilo, que foi vetado pouco antes do jogo.  

No início da partida, o CRB iniciou um pouco melhor, tomando as iniciativas da partida e com uma marcação em cima do CSA, sem deixar a equipe sair para o jogo.  E logo aos 6 minutos do primeiro tempo, o lateral regatiano, Edson Ratinho, cobrou uma falta da entrada área assustando o goleiro Jeferson.

Partida foi válida pela 6ª rodada do Campeonato Alagoano

FOTO: AILTON CRUZ/ GAZETA DE ALAGOAS

Depois dos 10 primeiros minutos, a equipe azulina conseguiu se encontrar na partida e começou a chegar ao gol da equipe alvirrubra. E aos 16 minutos, o atacante Jacó fez um belo drible no zagueiro Boaventura, aparecendo sozinho na área para chutar forte e obrigar o goleiro Juliano a fazer uma boa defesa.

Depois disso, o jogo ficou bastante equilibrado e movimentado. Diferente da última partida entre as duas equipes, pela Copa do Nordeste, onde o CRB venceu por 2 a 1 e foi bastante superior, principalmente pelo lado direito do campo com o atacante Mailson, que não teve a mesma liberdade hoje, sendo bem marcado pelo lateral Celsinho.

Mas, depois de uma boa crescente do Galo, em um escanteio aos 44 minutos da etapa inicial, a dupla de zaga regatiana apareceu para abrir o placar. Diego cruzou na área e Gabriel subiu para coloca a bola na trave. No rebote, Boaventura só teve o trabalho de escorar a redonda e balançar as redes. 

Na volta do intervalo, Canindé colocou o meia Daniel Costa no lugar do volante Dawhuan, mostrando que o time iria para cima para buscar o gol. O jogador entrou, mas ainda sem muito ritmo de jogo, foi discreto durante a etapa final. 

Mas logo aos 10 minutos, o CSA mostrou que viria para buscar o resultado e depois de Thiago Potiguar alçar a bola na área, o goleiro regatiano Juliano se atrapalhou e a bola sobrou para Cleyton, com um carrinho empurrar para dentro e empatar o clássico. 

Goleiro Juliano, do CRB, sai no soco para afastar a bola da área

FOTO: AILTON CRUZ/ GAZETA DE ALAGOAS

Depois disso, Canindé sacou o autor do passe para o gol azulino, Thiago Potiguar, para a entrada de Didira, com o objetivo de dominar mais o meio campo.  A partida seguiu bastante acirrada, com o CSA um pouco melhor.

O CRB, buscava sair nos contra ataques, geralmente com bolas cruzadas na área. O atacante Neto Baiano que o diga, que perdeu muitas oportunidades. Uma das mais claras, aos 18 minutos, onde o camisa 9 recebe sozinho na área, mas não sobe aproveitar a chance e mandou a bola por cima do gol.

Algo que deu para ser constatado nesta partida foi à fragilidade na defesa azulina nas bolas pelo alto. Quase sempre um jogador da equipe Alvirrubra conseguia subir sozinho para cabecear.  

Aos 24, o CSA realizou sua última substituição e colocou Alex Henrique no lugar de Cleyton para tentar dar um novo gás ao ataque marujo.

Pelo lado regatiano, Léo Condé só realizou a primeira alteração na partida aos 27 minutos, quando tirou o meia Chico, que bastante discreto, para a entrada do meia Clebinho.  Depois disso, o jogo continuo bastante movimentado e com chances para ambos os lados.

Depois de uma longa paralisação, para o atendimento do goleiro Jeferson que se machucou em um choque com o atacante Neto Baiano. Condé fez mais uma substituição na equipe, com a entrada de João Paulo Penha para a saída de Sérgio Mota, que não repetiu a atuação do último clássico.

E aos 40 minutos, o comandante regatiano fez a sua última alteração, colocando Elias no lugar de Neto Baiano. Depois disso, pouco coisa aconteceu e os times pareciam que estavam satisfeitos com o resultado. Depois de 4 minutos de acréscimos, o árbitro acabou a partida. Deixando tudo igual no clássico das multidões, sem nenhum torcedor no estádio. 

Facebook Comments

você pode gostar

Deixe um Comentário