Home NotíciasPolicia Evidências na cena do crime não batem com versão de suspeito de matar criança, diz delegado

Evidências na cena do crime não batem com versão de suspeito de matar criança, diz delegado

Por Alagoas Brasil Noticias

Resultado de imagem para policia milita Al

O menor de 14 anos, suspeito de ter assassinado a garota Thaíse Maria Silva dos Santos, de 10 anos, dentro de casa, no Village Campestre, nessa quinta (2), teve sua versão dos fatos confrontada pelas evidências encontradas no local do crime.

Segundo o adolescente, ele estava tomando café quando ouviu o barulho da fechadura da porta da casa sendo mexida. Assustado, ele teria se escondido embaixo da mesa, quando viu um homem entrar e se encaminhar em direção ao banheiro; foi neste momento que o adolescente teria aproveitado para sair do casa, segundo seu depoimento ao delegado Marcos Lins, na Central de Flagrantes de Maceió.

No entanto, o delegado, que afirmou que as evidências encontradas, através da perícia, na cena do crime, não batem com a versão do adolescente sobre os fatos. A perita Marina Mazanek, que esteve presente no local, disse que nenhuma das vias de acesso à casa apresentava sinais de arrombamento. 

“A equipe da Homicídios esteve presente no local, foi realizada a perícia e as evidências encontradas não batem com a versão dele”, disse o delegado.

Violência

O corpo da menina ainda passará pelos exames necessários nesse tipo de investigação. Segundo a perita Marina Mazanek, não havia indícios de estrangulamento e a causa da morte ainda será definida com a conclusão do laudo do médico legista.

Quando encontrado, o corpo apresentava sangramento na região genital, mas a suspeita de violência sexual não teve confirmação até o momento. 

O adolescente foi encaminhado para a Delegacia de Menores, onde responderá ao processo de investigação. Todo o material coletado pela perícia também será levado para a delegacia, onde familiares prestarão depoimento. O processo deverá levar até 10 dias para ser concluído. Posteriormente o caso será levado ao Ministério Público. Se condenado, o menor poderá pegar até 3 anos de reclusão. 

Facebook Comments

você pode gostar

Deixe um Comentário