forex trading app australia opçoes binarias touch fundos de investimento que mais fazem trade como saber a hora certa de investir olymp trade cripto trader operando muito além de bitcoin arab-latin american relations energy investment and trade qual o melhor trade pra investir o que são ticks opções binárias opçoes binarias qual melhor investir iq option fnb forex trading lucros opções binárias campeonato italiano parma trader esportivo investimento what is multiplier in forex trading investimento 2x trader é confiavel how to read forex trading signals operadoras de trade nomes o que é o soro em opções binárias
Home NotíciasPolitica STF mantém Bolsonaro réu por suposta incitação ao estupro

STF mantém Bolsonaro réu por suposta incitação ao estupro

Por Alagoas Brasil Noticias
Deputado disse que respeita a decisão da Primeira Turma, e que não irá comentá-la.

A Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) rejeitou nesta terça-feira (7) recursos apresentados pelo deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) e o manteve na condição de réu por suposta incitação ao estupro.

Por unanimidade, os ministros Luiz Fux, Marco Aurélio Mello, Rosa Weber e Luís Roberto Barroso ratificaram decisão de junho do ano passado de abrir duas ações penais por acusações de apologia ao crime e injúria.

Procurada pelo G1, a assessoria de Bolsonaro informou que o deputado respeita a decisão da Primeira Turma, mas não irá comentá-la.

Os processos na Corte se baseiam em declarações de Bolsonaro em 2014, na Câmara e em entrevista a um jornal, quando ele disse que a deputada Maria do Rosário (PT-RS) não merecia ser estuprada porque ele a considera “muito feia” e porque ela “não faz” o “tipo” dele.

Diante das declarações, ainda em 2014, a então vice-procuradora-geral da República, Ela Wiecko, ofereceu denúncia ao Supremo Tribunal Federal contra Bolsonaro por suposta incitação ao crime de estupro.

Após a Primeira Turma da Corte torná-lo réu, o parlamentar recorreu, alegando contradição na decisão do ano passado de não considerar, na avaliação dele, a chamada imunidade parlamentar, que protege deputados e senadores por opiniões, palavras e votos.

Relator do caso, o ministro Luiz Fux afirmou no novo julgamento que a questão foi devidamente analisada na sessão que analisou a denúncia. Com a decisão, Bolsonaro poderá agora depor e apresentar provas para a defesa dele.

Facebook Comments

você pode gostar

Deixe um Comentário