como operar em um minuto na olimp trade app opcoes binarias trade operando com 500 contratos helio moraes opçoes binarias forex trading strategies ppt ecn forex trading account op teck opçoes binarias como negociar opçoes binarias corretoras que operam com o meta trader 4 opções binárias são rentaveis online forex trading charts coleta opções binárias trade genial investimentos calculo imposto de renda operações day trade na bolsa operar day trade as 23 30hs investir swing trade 2019 teste psicologico para quem ainda nao opera no the trader
Home Alagoas PF cumpre mandados em Alagoas e Pernambuco por fraudes na compra de merenda escolar

PF cumpre mandados em Alagoas e Pernambuco por fraudes na compra de merenda escolar

Por Alagoas Brasil Noticias

Imagem relacionada

Uma operação envolvendo 88 policiais federais e nove auditores da Controladoria Geral da União foi deflagrada na manhã desta sexta-feira (10), em municípios alagoanos onde há suspeita de fraude em licitações para compra de merenda escolar. São investigados recursos de cerca de R$ 20 milhões em aquisições de prefeituras junto a empresas investigadas.

As ações estão sendo realizadas em estabelecimentos e residências na capital Maceió e nos municípios de Ibateguara, Rio Largo, Paripueira, São Luiz do Quitunde, Limoeiro do Anadia, Igreja Nova, Joaquim Gomes, Atalaia, Pindoba, Traipu, e São Miguel dos Campos, além dos municípios de Quipapá e Paulista, em Pernambuco.

A previsão é de cumprimento de 14 mandados de busca e apreensão em sedes de empresas e prédios públicos municipais, além de 22 mandados de condução coercitiva até a sede da PF em Alagoas, no bairro de Jaraguá.

A ação, batizada de “Brotherhood – 2ª fase”, tem como objetivo desarticular organizações criminosas envolvidas no fornecimento de gêneros alimentícios destinados à merenda escolar em todo o estado de Alagoas.

As investigações tiveram início em meados de 2015, sendo deflagrada a 1ª fase da operação em 28 de junho de 2016, com a realização de buscas e conduções coercivas, bem como indiciamento de empresários e servidores públicos. A ação descobriu fraudes em licitações, com prejuízo superior a R$ 12 milhões.

Naquela ocasião, foi apreendida farta documentação que, submetida a análise, indicou a participação de novas empresas e pessoas no esquema criminoso.

“Modus operandi”

A organização criminosa utilizava diversas empresas para atribuir aspecto de legalidade aos processos licitatórios das prefeituras. A participação ocorria por meio de procurador, geralmente um empregado vinculado a alguma das empresas integrantes do grupo.

A Brotherhood teve origem em denúncias à Prefeitura de Traipu, parte delas formalizadas por agentes públicos do próprio município. Durante a apuração, a CGU considerou o histórico de irregularidades já praticadas por gestores anteriores, que resultaram na Operação Tabanga, deflagrada em 2009. A investigação constatou fraudes semelhantes em outros municípios da região.

Entre as falhas, a CGU identificou direcionamento de processos licitatórios; sobrepreço; superfaturamento; conluio entre as empresas participantes dos certames; “jogo de planilhas”; constituições de empresas de fachadas; utilização de sócio oculto; e omissões por parte das prefeituras quando do recebimento das mercadorias destinadas à merenda escolar.

Facebook Comments

você pode gostar

Deixe um Comentário