Home Brasil PMs que executaram dois homens no Rio se envolveram em 16 autos de resistência

PMs que executaram dois homens no Rio se envolveram em 16 autos de resistência

Por Alagoas Brasil Noticias

 Os policiais militares flagrados executando dois homens feridos, na tarde de quinta-feira (30), no bairro de Fazenda Botafogo, já haviam se envolvido em 16 casos de auto de resistência, como são chamadas as mortes de pessoas em confrontos com a polícia.

Os dados são do Ministério Público (MP), que convocou uma reunião de emergência nesta sexta-feira (31) para tratar do assunto. No encontro também foi discutida a morte da estudante Maria Eduarda Alves da Conceição, de 13 anos, baleada dentro da escola Jornalista Daniel Piza, localizada na mesma região, durante o confronto entre bandidos e policiais.

A cena dos dois PMs atirando em dois homens que estavam feridos e caídos no chão foi divulgada por meio de um vídeo de celular gravado por moradores da região. Segundo o MP, o cabo Fabio de Barros Dias aparece em 11 casos de auto de resistência e o sargento David Gomes Centeno em mais cinco. De acordo com o Instituto de Segurança Pública (ISP), só nos meses de janeiro e fevereiro deste ano houve 182 episódios de mortes em confrontos com a polícia no estado do Rio.

“A ideia é nos reunirmos com outros segmentos, inclusive a Secretaria de Segurança e o Tribunal de Justiça, para traçarmos uma linha de segurança pública mais eficiente e evitarmos que fatos lamentáveis como os de ontem voltem a acontecer ou pelo menos diminuam. O Brasil tem se destacado negativamente como um dos países em que mais pessoas morrem, atingidas pela violência urbana. Nossa polícia é a que mais mata e a que mais morre”, disse o procurador-geral de Justiça, José Eduardo Gussem, lembrando que só neste ano morreram 42 policiais militares no Rio.

Segundo ele, a morte dos dois homens feridos e caídos na calçada tem todas as evidências de execução: “Há toda evidência naquele episódio, relatado pelas imagens, de uma execução sumária, lamentável”. O cabo Dias e o sargento Centeno estão presos no Batalhão Especial Prisional (BEP), em Niterói.

A promotora Andrea Amin, integrante do Grupo de Atuação Especial em Segurança Pública (Gaesp), já denunciou o cabo Fábio por execução em um caso de auto de resistência, mas a Justiça não acatou o pedido.

“De todos os policiais militares que eu denunciei, eu só tive duas denúncias rejeitadas. Uma foi essa do Fábio e outra foi ano passado. Coincidentemente, as duas na 3ª Vara Criminal. Recorri das duas. No resto, a gente tem conseguido o recebimento da denúncia, eu não sei se da condenação, pois isso fica a cargo do júri”, disse Andrea.

Facebook Comments

você pode gostar

Deixe um Comentário