Home Alagoas Alagoas aumenta número de jovens em sala de aula, mas continua abaixo da meta

Alagoas aumenta número de jovens em sala de aula, mas continua abaixo da meta

Por Alagoas Brasil Noticias

 

Até 2015, Alagoas tinha 756.947 crianças e jovens – com idade entre 7 e 14 anos – em sala de aula. O dado é o mais recente apresentado pela ONG Todos Pela Educação e, apesar do crescimento nos últimos anos, o Estado continua abaixo da meta fixada pelo governo federal.

De acordo com a organização, Alagoas deveria prover atendimento a 95,8% da população em idade escolar, mas conseguiu fornecer o serviço para apenas 92,2%. Ainda assim, o percentual é maior que o de 2014, quando 90,9% das crianças e adolescentes estavam na escola.

Entre todas as unidades da federação, apenas o Tocantis, com 95,1%, conseguiu superar o que era proposto – já o Maranhão ficou no limite do índice,com 94,4%. Além disso, com exceção do Acre, que apresenta taxa de atendimento de 89,9%, todas as outras possuem metas acima dos 90%. 

Proporcionalmente, segundo o relatório, as melhores situações são de São Paulo (95,9%), Rio de Janeiro (95,7%) e Distrito Federal (95,4%). A população entre 4 e 17 anos matriculada nas escolas brasileiras em 2015 foi equivalente a 40.610.137, aproximadamente dois milhões a menos do que em 2005.

Mesmo reduzindo o número absoluto de matrículas, porém, a taxa de atendimento cresceu de 89,5% para 94,2%, ou seja, 4,7 pontos percentuais. Se o Brasil tivesse mantido, há dois anos, o mesmo número de crianças e jovens em sala de aula, a taxa atual de atendimento seria de 99,2%.

Diferenças por idade

Apesar de ter aumentado a quantidade de pessoas na escola, Alagoas teve uma diminuição de alunos na faixa dos quatro aos cinco anos. Em 2014, 87.950 estudantes estavam matriculados; já em 2015 eles eram apenas 75.495, uma diferença de quatro por cento em apenas um ano.

Os dados são melhores, porém, entre os adolescentes de 15 a 17 anos. Entre os dois períodos analisados, a diferença foi de aproximadamente 7% a mais, passando de 156.766 para 159.825. Já a taxa de abandono do Ensino Médio foi de 13,8 em 2015, a segunda maior do País, atrás somente do Pará.

Ensino Fundamental e Médio

Outra meta analisada pelo Todos Pela Educação foi a conclusão do Ensino Fundamental aos 16 anos. Nesse quesito, Alagoas ficou bem abaixo da meta, com um percentual 53,3% do total, quando o esperado era de 82,1%. O término no Ensino Médio aos 19 também deixou a desejar: com 37,7% enquanto o índice fixado era de 63,3%.

As taxas de reprovação também cresceram nas duas etapas escolares, passando de 14,7%, no Fundamental, em 2014, para 16,1%, em 2015. Já o Médio foi de 8,4 para 11,2. Somente os anos iniciais, indo de 15,5% para 8,6%.

No Brasil, apenas seis unidades da federação atingiram – mas não superaram – as metas parciais de taxa de conclusão do Ensino Fundamental aos 16 anos. Roraima, São Paulo, Santa Catarina e Mato Grosso atingiram o proposto em 2014 e 2015. O Distrito Federal e a Paraíba alcançaram os objetivos em 2015

Quanto ao Ensino Médio, nenhum estado atingiu a meta parcial de conclusão aos 19 anos para 2015 e apenas dois, Roraima e Goiás, apresentaram crescimento de 15,8 e 7,7 pontos percentuais, respectivamente.

 

 

Facebook Comments

você pode gostar

Deixe um Comentário