Home Mundo Voto na ONU contra Israel traz maldição, avisa Sinédrio

Voto na ONU contra Israel traz maldição, avisa Sinédrio

Por Alagoas Brasil Noticias

Conselho de rabinos de Israel diz que “esta votação não afeta as profecias relativas a Jerusalém como a Cidade de Deus” >> Com informações de Breaking Israel News. 22|12|2017

Reunião da ONU

Em uma sessão especial, reunindo seus 71 anciãos, o tribunal do novo Sinédrio de Israel mandou um recado às nações do mundo para que assumissem seu papel profetizado na construção de Jerusalém e não votassem contra seu reconhecimento. Para os rabinos, este é um momento importante, onde cada uma decidirá seu destino, seja para benção ou maldição.

Na Assembleia Geral que ocorreu nesta quinta-feira (21), 128 países – incluindo o Brasil – votaram contra a decisão de Trump, declarando-a “nula a sem efeito”. Para o Sinédrio, essa resolução causará um “profundo arrependimento” naqueles que se opõe ao status de Jerusalém como capital.

No prefácio do documento oficial emitido pelo Sinédrio há a citação do verso de Isaías 11:9: “Ninguém fará nenhum mal, nem destruirá coisa alguma em todo o meu santo monte, pois, a terra se encherá do conhecimento do Senhor como as águas cobrem o mar”

Para eles, “As nações que votaram neste decreto maligno através de seus representantes são instrumentos de destruição e seu destino está selado, como sempre ocorreu ao longo da história com as nações que escolheram o caminho do mal.

O rabino Hillel Weiss, o porta-voz do Sinédrio, explicou que “Todo mundo que já leu a Bíblia sabe que se você abençoar Israel, será abençoado, mas se amaldiçoar Israel, será amaldiçoado”. Trata-se de uma citação indireta do versículo de Gênesis 12:3.

Segundo o líder religioso, “Israel é a ferramenta de Deus neste mundo para testar os corações dos homens. Por suas ações contra Israel, homens e até países inteiros, mostram seus sentimentos em relação a Deus. Agora, cada país está sendo convocado a mostrar isso”.

O Sinédrio lembra ainda que durante sua presidência, Barack Obama esteve várias vezes contra Israel. O presidente Trump, exatamente um ano atrás, quando já tinha vencido as eleições, mas ainda não fora empossado, tuitou: “Quanto à ONU, as coisas serão diferentes depois do dia 20 de janeiro”. 

Facebook Comments

você pode gostar

Deixe um Comentário