Home Mundo Venezuela declara embaixador brasileiro “persona non grata”

Venezuela declara embaixador brasileiro “persona non grata”

Por Alagoas Brasil Noticias

Crise Diplomática: A Venezuela declarou ‘personae non gratae’ o embaixador do Brasil em Caracas, Ruy Pereira, e o encarregado de negócios do Canadá, Craib Kowalik – informou neste sábado (23) a presidente da Assembleia Nacional Constituinte, Delcy Rodríguez. Por RFI > 24/12/2017.

Delcy Rodriguez, presidente da Assembleia Constituinte da Venezuela.REUTERS/Carlos Garcia Rawlins/File Photo

“No âmbito da competência da Assembleia Constituinte, decidimos declarar ‘persona non grata’ o embaixador do Brasil até que se restitua o fio constitucional que o governo de fato violou nesse país irmão”, disse Rodríguez, em alusão ao governo do presidente Michel Temer.

Brasília se manifestou, assegurando que aplicará “medidas de reciprocidade”, se a declaração se confirmar. “O governo brasileiro tomou conhecimento de declaração de ex-chanceler venezuelana de que o governo desse país teria decidido declarar o embaixador do Brasil em Caracas ‘persona non grata'”, afirma a diplomacia brasileira.

“Caso confirmada, essa decisão demonstra, uma vez mais, o caráter autoritário da administração Nicolás Maduro e sua falta de disposição para qualquer tipo de diálogo”, afirma a nota divulgada pelo Itamaraty, acrescentando que “o Brasil aplicará as medidas de reciprocidade correspondentes”. A presidente da Constituinte informou ainda que o encarregado de negócios do Canadá tem uma “permanente e insistente, grosseira e vulgar intromissão nos assuntos internos da Venezuela”.

Revanche?

A decisão responde a pronunciamentos feitos contra decretos recentes da Constituinte, um dos quais obrigará os três partidos opositores que não disputaram as eleições municipais de 10 de dezembro a se reinscreverem para participar das presidenciais de 2018.

Na sexta-feira (22), a embaixada do Canadá em Caracas escreveu em sua conta no Twitter que esse decreto “é mais uma ameaça a direitos dos venezuelanos de eleger livremente seus líderes, inclusive seu próximo presidente”.

O Brasil, que entregou na sexta-feira a presidência do Mercosul ao Paraguai, exigiu da Venezuela – suspensa do bloco – respeito aos direitos humanos. O presidente Temer reforçou que o bloco voltará a acolher a Venezuela, quando a “democracia” voltar.

As relações diplomáticas entre Brasil e Venezuela foram congeladas em agosto de 2016, como consequência das críticas de Caracas ao impeachment que destitui a presidente Dilma Rousseff (2011-2016) e levou Temer ao poder.

“Depois do golpe de Estado no Brasil, aprovou-se no Congresso uma cláusula de barreira que evitaria que partidos minoritários possam ter algum tipo de participação política”, prosseguiu Rodríguez, ao justificar sua decisão.

Facebook Comments

você pode gostar

Deixe um Comentário