Home PLANTÃO DE NOTÍCIAS Saída de ministros do governo é manobra comum para futuros candidatos, avalia especialista

Saída de ministros do governo é manobra comum para futuros candidatos, avalia especialista

Por Alagoas Brasil Noticias

Quem pretende concorrer aos cargos eletivos deve se filiar a um partido político até o dia 7 de abril, ou seja, seis meses antes da data das eleições > Por Cintia Moreira. 04/01/18 > 22:21As eleições gerais de 2018, que vão ocorrer em outubro, já têm causado mudanças no atual quadro político brasileiro. Nos dois últimos meses, três ministros anunciaram que se candidatarão como deputados federais. Primeiro, foi o ministro Ronaldo Nogueira, do Trabalho. Depois, quem pediu demissão foi o ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Pereira. Por último, o ministro da Saúde, Ricardo Barros, anunciou que deve deixar a pasta até abril.

O professor do Instituto de Ciência Política da UnB, Ricardo Caldas, explica que essa é uma manobra política considerada normal para quem quer se candidatar.

“Muitos ministros têm esta intenção de se tornar parlamentares. Alguns já são. E os que não são, eles querem ter o mandato. Então, muitos deles já estão anunciando, preventivamente, que pretendem deixar o cargo, até para permitir que o presidente escolher uma outra pessoa para o cargo. Então eu diria que isto é normal.”

Em meio a toda essa jogada política por parte dos ministros, o presidente da República, Michel Temer, anunciou que vai pensar em nomes de pessoas que não têm a intenção de concorrer às eleições. E, para o professor Ricardo Caldas, a decisão de Temer está correta.

“O presidente Temer, por sua vez, anunciou que agora só pretende colocar substitutos pessoas que tenham a intenção de não concorrer, o que eu acho que é uma decisão, na minha opinião, acertada, para evitar a nomeação e a pessoa sair um mês, ou dois meses, ou três meses depois.”

Outros ministros também podem seguir o mesmo caminho de deixar os cargos. É o caso de Raul Jungmann, da Defesa; Fernando Coelho Filho, de Minas e Energia; Leonardo Picciani, do Esporte; Mendonça Filho, da Educação; Maurício Quintella, dos Transportes; Marx Beltrão, do Turismo; e Sarney Filho, do Meio Ambiente.

Quem pretende concorrer aos cargos eletivos deve se filiar a um partido político até o dia 7 de abril, ou seja, seis meses antes da data das eleições. O mesmo prazo é dado para obtenção junto à Justiça Eleitoral do registro dos estatutos dos partidos políticos que pretendem entrar na disputa.

Já o dia 9 de maio vai ser a última data para o eleitor que pretende votar requerer o título, alterar seus dados cadastrais ou fazer a transferência do domicílio eleitoral. Também é o prazo final para o eleitor com deficiência ou mobilidade reduzida solicitar sua transferência para seção com acessibilidade e, ainda, para que presos provisórios e adolescentes internados possam regularizar a situação eleitoral a fim de votarem nas Eleições de 2018.

Facebook Comments

você pode gostar

Deixe um Comentário