Home Alagoas Governo sanciona lei para concurso público da Controladoria Geral do Estado

Governo sanciona lei para concurso público da Controladoria Geral do Estado

Por Alagoas Brasil Noticias

Lei nº 7.972 cria 40 vagas para a carreira de Analista de Controle Interno da CGE > Por  Livia Leão > 10|01|2018 > 14:18

Renan Filho sanciona a lei

O governador Renan Filho sancionou a lei que cria o quadro permanente e estabelece as normas gerais para a realização do concurso público da Controladoria Geral do Estado (CGE). A Lei nº 7.972, publicada na edição do Diário Oficial do Estado desta quarta-feira (10), dispõe sobre a criação da carreira de analista de controle interno, com 40 vagas.

De acordo com a publicação, para ingresso na carreira de Analista de Controle Interno deve ser feito um concurso público de provas ou de provas e títulos. Os candidatos devem ter nível superior, com especialidades, sendo ofertadas 10 vagas para Ciências Contábeis, 10 vagas para Direito, 4 vagas para Engenharia Civil, 3 vagas para Ciências da Computação e 13 vagas para as demais graduações.

A jornada de analista de controle interno é de 40 horas semanais. Os servidores aprovados no concurso público deverão passar por um curso de capacitação promovido pela Escola de Governo de Alagoas.

O concurso público terá validade máxima de dois anos, contados da data de homologação, prorrogável, uma vez, por igual período. O prazo de validade do concurso e as condições de sua realização serão fixados em edital.

A carreira de Analista de Controle Interno compreende os servidores que desempenham, no âmbito da Controladoria Geral do Estado (CGE), atividades de análise e controle interno dentro das áreas de auditoria de gestão e obras, contratos, convênios, contas públicas, controle financeiro, correição administrativa e ouvidoria.

Entre as atribuições do cargo de analista de controle interno estão a promoção do controle social a partir da transparência da gestão pública, coordenar e executar, no âmbito do Poder Executivo Estadual, as atividades de fiscalização, além dos resultados da ação governamental e da gestão dos administradores públicos estaduais, bem como da aplicação de recursos públicos estaduais, da aplicação de recursos públicos por órgãos e entidades de direito público ou privado ou por pessoas físicas, sem prejuízo de outros controles pertinentes.

Ainda na publicação, estão especificadas as regras e exigências sobre a produção do edital, vagas previstas para pessoas com deficiências e as normas para a o desenvolvimento na carreira de analista de controle interno.

Facebook Comments

você pode gostar

Deixe um Comentário