Home NotíciasSaúde População faz fila em posto da Pitanguinha para tomar vacina da febre amarela

População faz fila em posto da Pitanguinha para tomar vacina da febre amarela

Por Alagoas Brasil Noticias

Vacina é voltada para quem vai viajar para áreas de risco

FOTO: RAFAEL MAYNART

Apesar da recomendação da vacina apenas para viajantes a alguns estados brasileiros, maceioenses lotaram unidades de saúde da capital alagoana para se imunizar contra a febre amarela. A imunização foi recomendada pelo Ministério da Saúde (MS) no Rio de Janeiro, São Paulo e Bahia, que apresentaram casos da doença.

No posto da Pitanguinha, centenas de pessoas aguardavam nesta sexta-feira (19) pela vacina. Usuários chegaram ao local por volta das 6h para conseguir uma dose. Segundo a administração do local, 200 delas foram liberadas para hoje – na quinta, a unidade tinha 50 vacinas e posteriormente chegaram outras 200. 

“Cheguei 6h20 e estou saindo agora, 9h53. Vou para Chapada no Carnaval. Começaram a distribuir fichas umas 8h10 e só distribuíram dez. Depois, distribuíram mais 20. Só depois uma enfermeira chegou para a triagem foi que recebemos a ficha. Minha preocupação é com a viagem, já que vou para uma área de risco”, diz Renata Cunha.

No último dia 10, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) já havia informado que há vacina em estoque para a demanda preconizada pelo MS. Em Maceió, ela pode ser encontrada nas unidades Ib Gatto, Pitanguinha e II Centro, sob responsabilidade da Secretaria Municipal de Saúde. 

Além de todo o Norte, Centro-Oeste e Sul, onde a vacinação é permanente, encontram-se como áreas de recomendação temporária 53 municípios de São Paulo, onde devem ser imunizadas 6,3 milhões pessoas, 15 do Rio de Janeiro (10 milhões pessoas) e oito da Bahia (3,3 milhões pessoas).

Também devem se imunizar quem vai viajar para municípios e/ou países onde há circulação do vírus. Neste caso, a dose deve ser administrada com no mínimo dez dias de antecedência, mediante comprovante de passagem.

A vacina é contraindicada para pacientes em tratamento de câncer e pessoas com imunossupressão e com reação alérgica grave à proteína do ovo. Idosos podem receber a aplicação após a avaliação dos serviços de saúde. A vacinação impede a doação de sangue por um período de quatro semanas.

Macacos

Os órgãos de saúde alertam que macacos não são responsáveis pela transmissão da doença, que ocorre pela picada de mosquitos. Além disso, eles podem ser um alerta às autoridades quanto à incidência de febre amarela em áreas silvestres, já que também são vulneráveis ao vírus.

“Eles servem como anjos da guarda, como sentinelas da ocorrência da febre amarela”, explica Renato Alves, gerente de vigilância das Doenças de Transmissão Vetorial, do Ministério da Saúde. “É importante que a gente mantenha esses animais sadios e dentro do seu ambiente natural porque a detecção da morte de um macaco pode nos dar tempo para adotar medidas de controle”.

Caso a população encontre macacos mortos ou doentes, deve informar o mais rapidamente ao serviço de saúde do município ou do estado onde vive ou pelo número de telefone 136. É possível denunciar a matança ou maus tratos de macacos pela Linha Verde do Ibama (0800 61 8080).

 
 

Facebook Comments

você pode gostar

Deixe um Comentário