Home NotíciasEsportes Daniel Alves deixa 7 a 1 no passado e avisa: ”Temos que tentar mudar o presente”

Daniel Alves deixa 7 a 1 no passado e avisa: ”Temos que tentar mudar o presente”

Por Alagoas Brasil Noticias

– Também temos boas recordações de jogos contra a Alemanha, mas são desafios novos e totalmente diferentes do que aconteceu. O grau de dificuldade existirá tanto para uma parte como para outra. Esperamos estar à altura dessa ocasião e botar em prática todo o trabalho requerido por parte da nossa comissão.

Convocado em 2014, Daniel Alves perdeu a vaga durante a Copa e foi reserva no 7 a 1. Novamente titular, o lateral ressaltou a evolução da Seleção após a chegada de Tite, no meio de 2016.

– Acredito que será um grande jogo, houve evolução nítida na nossa Seleção desde que o professor assumiu. Mas elogios e críticas às vezes debilitam, você não pode absorvê-los se não ajudar a crescer, ser melhor do que somos. O professor é bastante experiente para saber absorver elogios quando eles chegam. Expectativa é ter um grande desempenho e fazer um grande jogo, nos preparamos todos os dias para isso. É um grande teste, são esses adversários que vamos enfrentar no futuro.

Confira outras respostas de Daniel Alves

A Seleção seria uma das favoritas à Copa com Dunga?

– Isso é colocar areia no trabalho dos outros e não fazemos isso. Valorizamos todas as pessoas com quem trabalhamos, elas tentam fazer seu melhor e muitas vezes não conseguem.

– É o grau de maturidade que precisamos para competir e sermos fiéis ao nosso trabalho. Pelo histórico, temos um grau de favoritismo em qualquer competição. Mas temos que fazer por onde para que essa possibilidade aumente.

Linha de cinco defensores da Alemanha

– Sinceramente, só posso dizer que estamos preparados para enfrentá-los. Se eu falar como vamos fazer, facilitamos a vida dos adversários. Nossa comissão estudou bem e os conceitos nós temos guardados, temos certeza de que vamos por em prática nossa forma de enfrentar adversários assim, sem perder nossas características. O que nos difere de outras seleções é nossa qualidade técnica individual, mas não podemos facilitar.

Relação famíliar

– É inevitável levar a família onde quer que esteja, é o mais importante que temos na vida. Em todos os momentos, bons ou não tanto, sempre será nosso alicerce. Aprendi com meu pai a dar seu melhor, aconteça o que acontecer, você vai poder descansar bem. Às vezes nosso melhor não é suficiente, mas nem por isso vamos deixar de continuar fazendo.

Reserva no 7 a 1

– Eu sempre me preparo para aceitar os momentos que a vida me oferece. Não acredito que tenha sido injustiçado, se o Maicon jogou é porque mereceu, respeito bastante a história dele na seleção brasileira. Na nossa profissão, sempre geramos debates. Acredito que não é demérito nem mérito ficar fora ou dentro, se tiver qualidade do seu lado. Querer estar dentro eu sempre vou querer, mas acredito que a única sensação que tenha ficado daquele momento é a de não poder ajudar de alguma forma, as substituições já tinham sido feitas. Na vida temos que estar preparados para tudo.

Falou com Neymar sobre o jogo?

– Não, conversamos sobre várias coisas, mas sobre isso não. Acredito que nem precise, o próprio jogo diz o quanto é importante, a dificuldade que teremos. O mais importante é enfrentar as situações e competir com elas.

Mudanças pessoais

– O único privilégio que tenho é poder fazer parte de um grupo sensacional. Não me sinto absoluto e não me sentirei em nenhuma posição, profissional ou pessoal. Sempre me vejo como alguém que luta bastante pelas coisas e tenta fazer o melhor que pode para estar li. Todos os nomes que vierem servir à Seleção serão bem-vindos e terão sua importância. A fortaleza de um grupo é ter jogadores qualificados dentro dele, acredito que temos, e bastante. Não mudou nada na minha vida, não. Sou só um pouco mais experiente do que era, pela minha idade e pelas coisas que vivi. A vontade segue a mesma, de competir e fazer o melhor que eu posso. Isso é o que me mantém firme, estável na carreira, minha constância. É a única diferença de antes para agora, sou um pouco mais experiente.

Maior lateral-direito do Brasil se vencer a Copa?

– Nem pretendo ser o maior ou o melhor. Eu quando saí da minha casa, deixei minha família, meu único objetivo era ser alguém nessa vida tão disputada e dura. Esse prêmio, meu pai já tem esse orgulho de mim, é suficiente para mim. Todos os jogadores têm essa etapa, esse histórico, todos são respeitados, é muito difícil ser jogador de futebol e abdicar de tanta coisa por uma profissão. Acredito que minha família está muito orgulhosa e tudo que eu pretendia fazer, eu fiz. Independentemente de ganhar um título mundial. É um sonho e temos que lutar por eles, estamos tentando de todas as formas. Sonhar junto é melhor, executar é melhor ainda.

Philippe Coutinho

– Acredito que o Coutinho é um jogador do mesmo nível do Ney, tem uma influência incrível no nosso jogo, na própria equipe. Quando estava no Liverpool e agora no Barça. Tem evoluído bastante e aprendido a ler melhor o jogo, as tomadas de decisões. E isso é prazeroso, jogar com um jogador desse nível, desse perfil. Temos outros parecidos. Somos privilegiados de poder jogar com grandes jogadores e tê-los ao nosso lado é muito melhor do que conta. Temos que extrair o melhor deles em prol do grupo e construir uma equipe sólida.

Veja as informações de Brasil e Alemanha para o jogão:

  • Local: estádio Olímpico, em Berlim (ALE);
  • Data e horário: terça-feira, às 15h45 (de Brasília);
  • Escalação do Brasil: Alisson, Daniel Alves, Thiago Silva, Miranda e Marcelo; Casemiro; Fernandinho, Paulinho, Willian e Coutinho; Gabriel Jesus;
  • Desfalques brasileiros: Neymar (fratura no quinto metatarso do pé direito), Filipe Luís (fratura na fíbula da perna esquerda) e Alex Sandro (lesão muscular na coxa direita);
  • Provável escalação da Alemanha: Leno (Trapp), Rüdiger, Boateng e Ginter; Kimmich, Gündogan, Khedira (Goretzka) e Plattenhardt; Stindl, Werner e Sané;
  • Desfalques alemães: Neuer (em recuperação de cirurgia no pé esquerdo), Müller e Özil (poupados) e Emre Can (dores nas costas);
  • Arbitragem: Jonas Eriksson (SUE), auxiliado por Mathias Klasenius e Daniel Wärnmark (ambos da Suécia);
  • Transmissão: TV Globo (com Galvão Bueno, Casagrande, Júnior e Arnaldo Cezar Coelho), SporTV (com Milton Leite, Muricy Ramalho e Mauricio Noriega), reportagens de Tino Marcos, Mauro Naves e Richard Souza, e GloboEsporte.com;
  • Tempo Real: GloboEsporte.com, a partir das 14h.
  • FONTE: Globo Esporte

Facebook Comments

você pode gostar

Deixe um Comentário