Home Brasil Na véspera do julgamento, Aécio cobra acesso a provas e diz que PGR “falseou” informações

Na véspera do julgamento, Aécio cobra acesso a provas e diz que PGR “falseou” informações

Por ABN - ALAGOAS BRASIL NOTICIAS


O senador Aécio Neves (PSDB-MG) pediu nesta segunda-feira (16) que o STF (Supremo Tribunal Federal) lhe garanta o acesso às provas produzidas durante as investigações sobre as supostas irregularidades da delação de executivos do grupo JBS antes do julgamento do recebimento da denúncia contra o tucano, marcado para esta terça (17), na 1ª Turma da Corte

Aécio divulgou nota e convocou a imprensa ao seu gabinete no Senado Federal para se defender. Ele disse ter a favor dele “os fatos e a verdade” contra o que chamou de “tsunami de versões” que o atingem.

“Estamos vendo um pré-julgamento generalizado em cima de imagens, em cima de versões. Cabe a mim, portanto, trazer de forma clara e efetiva os fatos que ocorreram esperando, inclusive, que amanhã eu possa ter o mesmo benefício que outros investigados tiveram por parte do STF, que é o acesso às provas. Isso é essencial para que a minha defesa seja feita de forma adequada”, falou o senador aos jornalistas.

Aécio afirmou ainda haver ilegalidade no processo, pois a PGR estaria a par de gravações “clandestinas” suas com Joesley Batista com o objetivo de fechar a delação premiada e o perdão de seus crimes. O senador falou ainda que a PGR “falseou” informação para impor as medidas cautelares contra ele, como o afastamento do mandato parlamentar ao “criar vínculo inexistente” com outros investigados.

Entre outras críticas, Aécio disse que nem todos os procedimentos internos do Supremo foram seguidos, como na numeração de documentos. “Fica aqui esse alerta porque se a Justiça falta hoje a um, vai faltar amanhã a outros.”

“O lamentável de tudo isso é que a ânsia de punir impediu que aquilo que é normal no nosso sistema jurídico, que o inquérito, que pressupõe a investigação antes da aceitação da denúncia, viesse a ocorrer”, disse. Ele argumentou que, se instaurado, os próprios acusadores corroborariam sua versão. “Vou aguardar com absoluta serenidade a decisão, mas tenho o dever, em respeito à minha família e à minha história, de colocar aqui os fatos para que possa ser julgado por eles de forma clara e objetiva”, disse.

Procurada pela reportagem para comentar as declarações de Aécio, a PGR limitou-se a encaminhar nota publicada mais cedo, em que reiterava pedido ao STF para que receba a denúncia contra o tucano.

Após se defender das acusações e dizer se “penitenciar” pelas falas ao telefone com termos inadequados, Aécio Neves foi questionado sobre a eventual candidatura à reeleição ao Senado no pleito de outubro deste ano mesmo se se tornar réu nesta terça. Ele respondeu que isso depende do campo político.

“Ninguém transformado em réu é culpado a priori, principalmente com a fragilidade dessas acusações”, argumentou, ao acrescentar que as acusações são uma “grande construção feita pela defesa do senhor Joesley com a participação de membros do Ministério Público”.

Perguntado se tem “receio” de que o caso dele “seja usado” para que o STF mostre ser imparcial, Aécio afirmou acreditar nos ministros do Supremo e respeitar a decisão a ser tomada.

Facebook Comments

você pode gostar

Deixe um Comentário