opções binárias e forex o que e preciso investir para opcao binaria como operar no olymp trade sem perder dinheiro planilha de gerenciamento opçoes binarias agora invest day trader operar day trade celular best forex trading indicators free download vitinhu h operando opçoes binarias curso opções binárias ronaldo c sinais de opções binárias clubintrader opções binárias velas japonesas crypto trader vale apena investir cartão de crédito opções binarias qual o melhor tempo nas opçoes binarias modos de operar trade atlas international trade & investments investir na bolsa day trade ou açoes
Home NotíciasEsportes Conselho do Palmeiras vota nesta segunda-feira aumento de mandato presidencial

Conselho do Palmeiras vota nesta segunda-feira aumento de mandato presidencial

Por Alagoas Brasil Noticias

O presidente Maurício Galiotte e seus quatro vices: Victor Fruges, Antonino Jesse Ribeiro, Genaro Marino e José Carlos Tomaselli (Foto: Fabio Menotti/Ag.Palmeiras/Divulgação)

O Conselho Deliberativo do Palmeiras vota na noite desta segunda-feira algumas mudanças no estatuto do clube. A mais importante delas, que vem dividindo a opinião de conselheiros e associados, trata do aumento do mantado presidencial para três anos – atualmente, o presidente eleito tem dois anos de administração.

Conselheira e patrocinadora do Palmeiras, Leila Pereira é defensora pública da alteração no estatuto. Na última quinta-feira, inclusive, ela promoveu um jantar entre associados e conselheiros e voltou a citar a importância, na visão dela, da alteração estatutária.

PUBLICIDADE

Mesmo sem afirmar que pretende concorrer à presidência do clube no futuro, Leia Pereira seria beneficiada se tal mudança passasse a valer já na próxima eleição, em outubro. Assim, no pleito seguinte, em 2021, ela já terá completado o primeiro mandato de conselheira, condição para poder concorrer ao cargo de presidente.

A manutenção do mandato em dois anos ou a aprovação da gestão de três anos somente a partir de 2020, Leila Pereira, ou qualquer outro conselheiro nas mesmas condições, só poderia concorrer a partir de 2022.

Opositores argumentam que uma gestão de três anos até seria válida, desde que não interferisse no pleito deste ano, quando se encerra o primeiro mandato de Galiotte. Há argumentos de que uma alteração hoje seria uma oportunidade eleitoral. Do outro lado, a ideia é de enfim colocar em prática uma das principais ideias da reforma estatutária.

Nas últimas semanas, diferentes grupos de conselheiros se manifestaram em defesa e contra a mudança no estatuto. Alas mais tradicionais da política palmeirense defendem a manutenção do atual sistema de administração, enquanto pessoas ligadas ao presidente Maurício Galiotte trabalham pela alteração. A expectativa é que a disputa seja equilibrada.

Ainda não há chapas anunciadas para a disputa presidencial deste ano. A tendência é que Maurício Galiotte tente a reeleição contra Genaro Marino, seu atual primeiro vice. Os grupos precisam da aprovação do filtro do Conselho Deliberativo para concorrerem na eleição entre os associados.

Fonte: Globo esporte

 

PUBLICIDADE

 

 

Facebook Comments

você pode gostar

Deixe um Comentário