Home Geral Pastor evangélico estupra filho e enteado antes de matá-los

Pastor evangélico estupra filho e enteado antes de matá-los

Por Alagoas Brasil Noticias

O pastor evangélico George Alves, da Igreja Batista Vida e Paz, assassinou o próprio filho, de 3 anos, e o enteado, de 6. A informação, baseada em laudos periciais, foi confirmada pela Polícia Civil do Espírito Santo nesta quarta-feira (23).

A perícia revelou ainda que George Alves estuprou os meninos antes de matá-los de maneira cruel: eles foram queimados vivos.

O crime aconteceu no mês passado, em 21 de abril, na cidade de Linhares, no Espírito Santo. A princípio, o pastor George Alves, que estava sozinho em casa com os meninos, disse que eles morreram em um incêndio que atingiu apenas o quarto onde as vítimas dormiam. 

O pastor chorou na primeira entrevista que concedeu à imprensa. George disse que tentou salvar os meninos, mas a polícia identificou inconsistências em sua fala.

Menos de 24 horas depois da morte de Joaquim Alves Salles e Kauã Salles Butkovsky, câmeras de segurança flagraram o pastor George e a mãe dos meninos em uma lanchonete. Ambos aparentavam normalidade.

De acordo com o inquérito, a mãe não teve participação no crime e não será investigada. No dia do crime, Juliana Salles estava em um congresso em Minas Gerais com o filho mais novo do casal.

George Alves está preso desde o dia 28 de abril. A polícia afirma que ele alterou o local do crime e fez contato com testemunhas. Ele foi indiciado por duplo homicídio triplamente qualificado e duplo estupro de vulneráveis. A soma máxima das penas pode chegar a 126 anos.

Delegado descreve assassinatos

“Naquela madrugada, o investigado, inicialmente, molestou as duas crianças, tanto o filho biológico Joaquim quanto o enteado Kauã, mantendo um ato libidinoso”, disse o delegado André Jaretta.

“Com as duas vítimas ainda vivas, porém desacordadas, o investigado as levou até o quarto, as colocou na cama e ateou fogo nas crianças, fazendo com que elas fossem mortas com o calor do fogo”, explicou Jaretta.

“Isso tudo é comprovado pelo exame pericial. As crianças continham fuligem na traqueia e o exame demonstrou que elas ainda respiravam quando começou o incêndio”, concluiu o delegado.

Fotos do pastor as crianças e esposa.

Fonte: Pragmatismo

Facebook Comments

você pode gostar

Deixe um Comentário