opções binárias é proibida em portugal curso opções binárias drive trader mercado de opçoes binarias sala de sinais free opções binárias dicas opções binarias a three dimensional approach to forex trading anna coulling pdf melhores investir no mercado trade trader como operar na bolsa pdf como recolher o dartf nas operações de day trade forex trading earnings operar leilão pelo tryd trader forex trading tv mercado opçoes binarias optionbr2 plataforma de opções binarias uk trade & investment brazil cnpj how forex trading works in malaysia
Home Brasil Sob pressão de ruralistas, governo mudará tabela de fretes

Sob pressão de ruralistas, governo mudará tabela de fretes

Por Alagoas Brasil Noticias

Foto: Bernardo Coutinho/Gazeta online

Após pressão de produtores rurais, o governo federal recuou e vai rever a tabela de preços mínimos para os fretes rodoviários.A informação foi dada ao Estadão/Broadcast pelos ministros dos Transportes, Valter Casimiro, e da Agricultura, Blairo Maggi, após reunião com representantes do agronegócio na noite desta terça-feira. Os ruralistas dizem que a tabela, uma das promessas feitas pelo governo para conseguir encerrar a greve dos caminhoneiros, eleva os custos do frete em até 150%.

O ministro Maggi afirmou que a demanda das entidades presentes ao encontro mostra que a tabela de preços mínimos de frete “é extremamente elevada, praticamente inviabiliza o setor produtivo” e, por isso, será revisada. Segundo ele, os cálculos da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), responsável pela elaboração da tabela, foram “muito corridos” para atender à demanda dos caminhoneiros, e alguns cálculos foram imprecisos. “A ANTT vai trazer para a realidade uma série de coisas e deve propor uma nova tabela de fretes amanhã (quarta-feira, 06) “, disse.

PUBLICIDADE

 

A tabela entrou em vigor em 30 de maio, por meio de medida provisória, como uma resposta do governo a uma das reivindicações dos caminhoneiros em greve. Antes, não havia um preço mínimo – as negociações eram feitas caso a caso. Um levantamento da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), porém, apontou que, com os valores fixados pela ANTT, os fretes de grãos subiram entre 35% e 150% em relação aos praticados pelo mercado antes da medida.

“Além de essa variação ser absurda, a medida é inconstitucional, já que vai contra o livre-comércio e a livre iniciativa de um mercado balizado pela oferta e pela procura”, disse Elisangela. “A gente não descarta a possibilidade de que mercado paralelo seja criado, com algumas associações montando frotas próprias no longo prazo, além dos recursos à Justiça.”

O presidente da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja-MT), Antonio Galvan, afirmou na segunda-feira que a tabela de fretes já dificulta a negociação de grãos no Estado. “O tabelamento não tem como vingar. Vai ser um prejuízo incalculável em todo o Brasil”, disse.

Para Fernando Cadore, vice-presidente da Aprosoja-MT, o produtor rural que tiver condições de incorporar o custo do transporte para levar o produto da fazenda para os armazéns vai fazê-lo para evitar o aumento de custo com transporte. “Se for viável para o produtor ter caminhão, ele vai comprar, e isso vai acabar tirando o autônomo do negócio.”

Fonte: Terra

 

PUBLICIDADE

Facebook Comments

você pode gostar

Deixe um Comentário