opçoes binarias corretiras nicho de opções binárias notebook operando day trade download curso opções binárias drive mega qual melhor ora para operar olymp trade operações day trade renda variavel como declarar o que são ticks opções binárias posso operar day trader em duas corretoras como funciona o mercado de opções binárias? horarios de operação opções binárias xp investimento planilha exceç swuing trade opções binárias mirae leo trader investing capital curso de probabilistica em opções binárias optionbr1 estratégia opções binárias clésio freitas rob beyer spi em opções binárias
Home Brasil Juiz concede liberdade ao ex-ministro Henrique Alves

Juiz concede liberdade ao ex-ministro Henrique Alves

Por Alagoas Brasil Noticias

Ex-ministro Henrique Alves tem a prisão domiciliar revogada

FOTO: PEDRO VITORINO

O ex-ministro Henrique Eduardo Alves (MDB) teve a prisão domiciliar revogada pelo juiz Francisco Eduardo Guimarães Farias, da 14ª Vara Federal de Natal. Com isso, ele passará a responder em liberdade ao processo da operação Manus, em que é acusado de corrupção passiva e lavagem de dinheiro em investigação de desvios na construção da Arena das Dunas. A defesa acredita que o processo “caminha para absolvição”.

Alves foi preso no dia 6 de junho de 2017 por causa da operação Manus e também da operação Sépsis, que investigou desvios no Fundo de Investimentos do FGTS. Ele ficou detido na Academia de Polícia Militar, em Natal, até o dia 3 de maio de 2018 quando passou a cumprir prisão domiciliar.

PUBLICIDADE

Henrique Alves foi ministro do Turismo nos governos Dilma Rousseff e Michel Temer e presidente da Câmara Federal.

Investigações

A operação Manus investigou um suposto esquema de corrupção e lavagem de dinheiro na construção da Arena das Dunas. Além de Henrique Alves, também foram denunciados na operação o ex-deputado Eduardo Cunha, o ex-presidente da OAS Léo Pinheiro, o ex-dirigente da Odebrecht Fernando Reis e mais duas pessoas ligadas ao ex-ministro.

Os dois ex-deputados são acusados pelos procuradores da República de terem recebido propinas disfarçadas de doações eleitorais, oficiais e não oficiais. Segundo o MPF, em troca do suborno eles teriam atuado para favorecer empreiteiras como OAS e Odebrecht nas obras da Arena das Dunas, em Natal, uma das sedes da Copa do Mundo de 2014.

Fonte: Gazeta web

 

 
 

Facebook Comments

você pode gostar

Deixe um Comentário