opcoes binarias brasileira como carregar operações swing trade forex trading taxation australia alíquota para opções binária indicador online binary opçoes binarias opçoes binaria registrar como é o mercado de opções binárias e outros viver de trade investimento minimo forex trading demo account south africa opções binárias pode acabar algum dia opções binárias funciona no final de semana investimento pela clear em day trade forex online trading são paulo software para opcoes binarias investir opçoes modal mais metodo fibonacci opçoes binarias para gerenciamento de risco para opções binárias
Home Geral Justiça decreta prisão de policial acusado de tentar matar vereador

Justiça decreta prisão de policial acusado de tentar matar vereador

Por Alagoas Brasil Noticias

Foto: Divulgação | TJ-AL

A juíza Renata Malafaia Vianna, da Comarca de Teotônio Vilela, decretou a prisão do policial civil Gilberto Ferreira dos Santos, acusado de tentativa de homicídio contra Edivaldo de Souza Santos, vereador do Município, em 9 de outubro de 2017. A decisão foi proferida no dia 9 de julho e o réu se encontra preso desde sexta-feira (13).

De acordo com a denúncia do Ministério Público, recebida pela Juíza na decisão, a vítima entrou em conflito com Gilberto porque este afirmava ser o verdadeiro proprietário de um terreno na região da Lagoa do Pau, em Coruripe (AL).

Para a magistrada, os pressupostos da prisão preventiva – prova da materialidade e indícios suficientes de autoria – foram preenchidos.

“[Do inquérito], extrai-se que o denunciado agiu de forma extremamente ousada, utilizando-se de arma de alto poder letal e desafiando os Poderes Judiciário e Executivo Municipal, uma vez que a vítima era vereador de Teotônio Vilela e o crime ocorreu após decisão do Juízo competente de Coruripe, que havia determinado que o denunciado saísse das terras que esbulhou (invadiu) e que pertenciam à vítima”, diz a decisão.

A juíza destacou que o denunciado é chefe de serviços da Delegacia de Coruripe, “e fez uso de sua função para ameaçar e amedrontar a vítima, conforme relatado por ela em suas declarações”.

O inquérito, conduzido por uma comissão de delegados, indica que foram recolhidos, no local do crime, 24 estojos de munição ponto quarenta, calibre de uso restrito das forças policiais. O inquérito informa ainda que a Edivaldo relatou não ter outras inimizades e que estava no imóvel há mais de um ano, quando começou a ser ameaçado por Gilberto.

“A prisão cautelar do denunciado neste momento processual é imprescindível para o correto desenvolvimento do processo criminal, para que seja impedido de causar maior interferência nos ânimos da vítima e testemunhas ou tumulto processual”, concluiu a juíza.

A decisão também determinou o sequestro do imóvel.

Fonte: Dicom TJ – AL

Facebook Comments

você pode gostar

Deixe um Comentário