curso opções binárias melhor curso forex social trading robos gratuitos para opções binárias opções binárias ccramer como operar na plataforma profitchart trader clear invest fair trade have you earned on forex trading before a plataforma da investing é boa para day trade introduction to forex trading buy sell pending mt4 opções binárias tabela de ganho nicash trade investimentos quando fazer entradas em opçõs binárias opções binárias dicas para estrategia suporte e resistencia opções binarias qual nivel de confiança em investir dinheiro opções binarias como aprender investir diferença entre opções e opções binárias opções binárias site mercadolivre.com.br
Home NotíciasPolicia Auditor fiscal e mais 9 são presos em operação contra sonegação de impostos

Auditor fiscal e mais 9 são presos em operação contra sonegação de impostos

Por Alagoas Brasil Noticias

Uma força tarefa comandada pelo Grupo de Atuação Especial em Sonegação Fiscal e aos Crimes Contra a Ordem Tributária, Econômica e Conexos (Gaesf), coordenado pelo Ministério Público Estadual de Alagoas (MPE/AL), está nas ruas desde as primeiras horas da manhã desta terça-feira (17) para prender 10 pessoas, uma delas um auditor-fiscal alagoano.

 

Eles são suspeitos de integrar uma organização criminosa especializada em corrupção de agentes públicos, lavagem de bens e falsificação de documentos, dentre outros ilícitos penais. A ação é realizada em parceria com os Ministérios Públicos Estaduais de Sergipe e da Bahia.

As investigações do Gaesf começaram há cerca de seis meses e descobriram que o esquema de sonegação fiscal ultrapassou as divisas de Alagoas, alcançando mais dois estados nordestinos. Estima-se um prejuízo de R$ 197 milhões.

A operação, batizada com o nome de Placebo, cumpriu 10 mandados de prisão e 18 mandados de buscas e apreensão nos estados de Alagoas, Sergipe e Bahia, todos expedidos pela 17ª Vara Criminal de Alagoas. Várias caixas de medicamentos foram apreendidas e eles serão analisados para saber se eram verdadeiros.

São suspeitos de participar do esquema de sonegação de impostos um auditor-fiscal de Alagoas, quatro empresários do ramo de distribuição de medicamentos, quatro “testas-de-ferro” (aquele que é colocado como responsável pelo negócio para que o líder se mantenha no anonimato), dois laranjas e dois contadores.

Em Alagoas, foram presos o auditor-fiscal Carlos Antônio Nobre e Silva, os testa-de-ferro Márcio André de Lira e Erasmo Alves da Silva Filho e o contador Benedito Alves dos Santos Júnior. Já em Aracaju, foram detidos os empresários Antônio Monteiro dos Santos, Arnaldo Monteiro dos Santos, Vanessa Veras Ribeiro e Jenisson Paulino da Silva Ribeiro. Por fim, em Feira de Santana, interior da Bahia, havia mandados de prisão em desfavor das empresárias Maria Edenilce Monteiro dos Santos e a filha dela, Sílvia Santos Borges. Porém, elas se encontram na condição de foragidas da justiça.

Os crimes

As investigações apontam um dano ao erário estadual de aproximadamente R$ 197 milhões, valor atualizado até junho de 2018. Tal montante engloba imposto sonegado, multas, juros e correção monetária.

Segundo o promotor de justiça Cyro Blatter, coordenador do Gaesf, todos os alvos são acusados de formação de organização criminosa, falsificação de documentos públicos e privados, falsidade ideológica, lavagem de bens e corrupção de agente público. Blatter comandou os trabalhos em Aracaju. Já em Maceió, a operação ficou sob a responsabilidade do promotor de justiça Guilherme Diamantaras. E, em Feira de Santana, o Ministério Público foi representado pelo promotor de justiça Kléber Valadares. 

A Secretaria Estadual da Fazenda, a Procuradoria-Geral do Estado e a Polícia Civil também participam da operação por meio dos seus integrantes que compõem o Gaesf: o auditor-fiscal e gerente de pesquisa e investigação da Sefaz, João Clemente Vasconcelos Júnior, o procurador de Estado Ivan Luiz Silva e os delegados Filipe Caldas e Fabrício Nascimento. O delegado Antônio Edson Oliveira participa da operação na condição de titular da Deccotap – Delegacia Especializada de Crimes contra a Ordem Tributária e Administração Pública. 

Placebo

A palavra placebo, que deu nome à operação, faz referência a toda e qualquer substância sem efeito ou propriedades terapêuticas. 

Fonte: TNH1
 

Facebook Comments

você pode gostar

Deixe um Comentário