Home NotíciasPolicia Justiça decreta prisão de padrasto acusado de estuprar enteada de apenas 3 anos

Justiça decreta prisão de padrasto acusado de estuprar enteada de apenas 3 anos

Por Alagoas Brasil Noticias

Justiça decreta prisão de padrasto acusado de estupro

FOTO: CAIO LOUREIRO/ARQUIVO

A Justiça decretou, ainda nessa segunda-feira (29), a prisão de Cleiton Silva de Souza, acusado de violentar sexualmente a própria enteada de apenas 3 anos de idade. A solicitação foi feita pelo Ministério Público Estadual (MPE), que se baseou, inclusive, no laudo produzido pela Perícia Oficial (PO/AL), apontando que o corpo e o rosto da criança apresentavam hematomas, além de lesões na mucosa interna do ânus.

A prisão foi decretada pela juíza da 14ª Vara Criminal da Capital, Larrissa Gabriella Lins Victor Lacerda, acolhendo o pedido do órgão ministerial, feito no último dia 13. A assessoria de comunicação do Tribunal de Justiça de Alagoas (TJ/AL) informou que não tem a confirmação se o acusado já foi preso. 

A representação criminal apresentada pelo Ministério Público foi assinada pelos promotores de Justiça Dalva Tenório e Lucas Sachsida Carneiro, que atuam nas Promotorias de Justiça com atribuição para combater crimes praticados contra crianças e adolescentes.

Além o laudo produzido pela Perícia, os promotores também levaram em consideração o depoimento dos conselheiros tutelares que acompanham o caso. Há suspeita de que a criança possa ficar paraplégica em virtude dos danos físicos provocados. A equipe médica que acompanha o caso confirmou, inclusive, que a menina vai ficar com sequelas neurológicas devido à violência que sofreu. 

“O caso presente é um dos mais chocantes que tramitam nesta 14ª Vara Criminal. Uma criança, com 3 anos de idade, foi estuprada com tamanha violência, inclusive, com coito anal, e há relatos de que ficará paraplégica. O estupro de vulnerável representa um dos crimes mais comprometedores do bom rumo da sociedade e por transparecer a inversão do mais puro conceito de cuidado e amor, pois, neste caso, foi perpetrado com emprego de tortura, ocasionando lesões gravíssimas à vítima”, disse o MPE no pedido. 

Fonte: Gazeta web

 

 

Facebook Comments

você pode gostar

Deixe um Comentário